Polícia já está com as imagens das câmeras de segurança do sítio onde casal foi morto, diz filha de vítima

Polícia

Polícia já está com as imagens das câmeras de segurança do sítio onde casal foi morto, diz filha de vítima

Imagens vão ajudar os investigadores a identificar os suspeitos de atirarem na advogada Marinelva Venturim Atash e no marido D'Ali Atash

Foto: Reprodução

A Polícia Civil já teve acesso às imagens das câmeras de segurança do sítio onde a advogada Marinelva Venturim Atash e o marido D'Ali Atash foram assassinados a tiros no último domingo (18). A informação foi confirmada pela filha de Marinelva, Camila Venturim. 

As imagens irão ajudar a polícia a identificar os envolvidos no crime. O conteúdo dos vídeos, no entanto, ainda não foi informado à família. "Eles já têm as imagens, mas não podem divulgá-las. Acredito que seja para não atrapalhar as investigações", afirmou Camila. 

O crime aconteceu na zona rural de Santa Leopoldina, região Serrana do Espírito Santo. Os corpos foram encontrados pelo filho dos caseiros do sítio, um adolescente de 17 anos. Segundo o jovem, na tarde do último domingo, foi possível ouvir cinco disparos da casa vizinha onde ele estava. Ao chegar no sítio, o rapaz já encontrou as vítimas baleadas.

Procurada pelo Folha Vitória para confirmar o acesso às imagens e uma possível identificação dos suspeitos, a Polícia Civil disse apenas que o caso segue sob investigação da Delegacia de Polícia de Santa Leopoldina e que, até o momento, nenhum suspeito foi detido. Outras informações não serão repassadas para que a apuração dos fatos seja preservada.

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, onde aguardam liberação. 

Sepultamento 

Segundo a filha de Marinelva, a mãe desejava ser cremada após a morte. Mas, por ser tratar de um homicídio e não de uma morte natural, a decisão cabe ao juiz. A família entrou com recurso na Justiça e aguarda a resposta, que deve sair ainda na tarde desta terça-feira (20). 

Já a liberação do corpo de D'Ali Atash passa por um procedimento mais burocrático, já que o homem é iraniano com cidadania norte-americana. De acordo com a enteada, a embaixada americana no Brasil, responsável por emitir o certificado, já foi comunicada. Camila contou que, em conversa com as duas filhas de D'Ali, foi definido que ele será sepultado no Espírito Santo. 

As famílias planejam sepultar o casal no cemitério Parque da Paz, em Vila Velha. A data e o horário da despedida ainda não foram definidos

Crime

Marinelva e Atash estavam juntos há mais de 20 anos. Os dois foram encontrados mortos pelo filho adolescente do caseiro do sítio onde viviam, na região de Colina Verde, em Santa Leopoldina. De acordo com a polícia, Marinelva foi assassinada com três tiros no tórax e Atash sofreu uma perfuração no rosto.  

LEIA TAMBÉM: Advogada e marido são assassinados a tiros em sítio do casal na Região Serrana do ES

Até o momento, a polícia não confirmou se algum suspeito foi identificado ou preso. No entanto, aproximadamente dez pessoas foram à delegacia para prestar depoimentos. O caso segue sob investigação da Polícia Civil.