Ocupação social para reduzir índices de violência em Vila Velha

Polícia

Ocupação social para reduzir índices de violência em Vila Velha

Programa Ocupação Social pretende reduzir a criminalidade em regiões estratégicas, por meio de ações de prevenção voltadas para a educação e cultura dos jovens

Evento de lançamento do novo programa de segurança pública contou com a participação de representantes do Governo do Estado, Prefeitura de Vila Velha e população Foto: Divulgação/Governo

Vila Velha será o primeiro município do Espírito Santo a receber o novo programa de segurança pública do Governo do Estado. O programa Ocupação Social pretende reduzir os índices de criminalidade, em regiões consideradas estratégicas, por meio de ações de prevenção voltadas principalmente para a educação e cultura dos jovens, apontados pelas estatísticas como principais vítimas da violência.

O projeto foi apresentado na tarde desta segunda-feira (18), no auditório da praça Duque de Caxias, no centro de Vila Velha, e contou com a participação de representantes do Governo do Estado e da Prefeitura de Vila Velha, além de lideranças comunitárias. 

De acordo com o modelo do programa, a atenção especial será dada principalmente à educação e cultura de jovens, trabalhando na prevenção da violência. Metodologia que, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), não havia sido implementada em programas anteriores.

O secretário estadual de Segurança Pública, André Garcia, participou da elaboração do programa anterior do governo, no combate à violência, e disse que não houve falha. No entanto, ele reconhece que o projeto precisava ser aprimorado.

"O Estado Presente tinha as duas dimensões, da prevenção e da proteção. Nós temos hoje a questão da atuação policial mais consolidada. Por isso é 

preciso voltar a nossa carga para a questão da prevenção. Toda política pública precisa ser avaliada ao longo do tempo e, se necessário, fazer o seu realinhamento. É o que está sendo feito, com a visão de quem acompanhou os resultados, no meu caso. Minha equipe participou da elaboração do programa [Estado Presente]. Então nada melhor do que uma colaboração nossa para enxergar eventualmente a necessidade de a gente fazer algum tipo de reajuste ou realinhamento. É o que está sendo feito", ressaltou o secretário.

Ainda não há uma data específica para o programa ser colocado em prática. Segundo o prefeito de Vila Velha, Rodney Miranda, as áreas do município a serem contempladas pelo programa ainda serão definidas.

"Nós estamos atuando já nas duas frentes, com vários projetos de prevenção, como escolas em tempo integral, além de projetos culturais e esportivos que atendem esses jovens e dão uma perspectiva diferente da perspectiva das drogas e do crime. E também apoiando, com a nossa 

Guarda Municipal armada e videomonitoramento, as ações de enfrentamento da violência. Nós vamos definir nos próximos dias quais serão os bairros, as áreas prioritárias para a implantação do projeto, conforme eu conversei com o governador Paulo Hartung, e, a partir daí, sermos efetivos e executivos para buscar rapidamente os bons resultados", destacou.

Segundo dados da Sesp, foram registrados 36 homicídios dolosos, de janeiro a 17 de maio deste ano, em Vila Velha, 15 crimes a menos do que no mesmo período do ano passado.

"Aprofundando a análise desses dados, a gente verificou que a população mais vulnerável são os jovens negros e pardos de 15 a 24 anos. Então nosso foco é reduzir mais fortemente o índice de homicídios nessa faixa etária. Porque dentro de um mesmo bairro, em que há muitos homicídios, o risco é muito maior para essa população do que para uma outra pessoa no mesmo bairro. A chance dela ser vítima de homicídio chega a ser mais de 10 vezes maior do que outra pessoa", salientou o secretário extraordinário de Ações Estratégicas, Evaldo Martinelli.