Laudo confirma abuso em criança supostamente espancada por mãe e padrasto em Vila Velha

Polícia

Laudo confirma abuso em criança supostamente espancada por mãe e padrasto em Vila Velha

De acordo com o delegado Lorenzo Pazolini, da DPCA, responsável pelo caso, violência sexual foi constatada por exame realizado no DML. Vítima segue internada em estado grave

Criança teve ferimentos por todo o corpo segue internada em estado grave no Hospital Infantil de Vitória Foto: Reprodução

A polícia confirmou, nesta sexta-feira (13), que criança de 2 anos que foi internada em estado grave, após supostamente ter sido espancada pela própria mãe e pelo padrasto, em Vila Velha, foi vítima de abuso sexual. De acordo com o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), delegado Lorenzo Pazolini, responsável pela investigação do caso, a violência foi constatada pelo exame pericial realizado pelo Instituto Médico Legal (DML).

"No caso da criança que ainda está internada, o laudo do Departamento Médico Legal constatou uma prática de violência sexual contra essa criança. O laudo já foi juntado ao inquérito policial e ele demonstra a realização de uma violação sexual", ressaltou o delegado, em entrevista para o programa Fala Espírito Santo, da TV Vitória/Record.

Segundo Pazolini, os dois acusados estão presos. O padrasto foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana e a mãe, para o Centro de Detenção Provisória Feminino. 

Agora a polícia pedirá à Justiça para que eles permaneçam atrás das grades até o julgamento do caso. Eles foram autuados por tortura e, caso sejam condenados, podem pegar até 16 anos de prisão.

"Vamos solicitar ao poder judiciário a prisão preventiva dos acusados, para que eles fiquem presos durante toda a ação penal. A condenação é certa, porque o crime já está comprovado. Mas nós queremos mais. Queremos que eles fiquem presos até a condenação", frisou.

Mãe foi presa acusada de ter agredido os dois gêmeos Foto: Patrícia Battestin

O delegado destacou também que o inquérito ainda está em andamento e deverá ser concluído dentro do prazo. "Estamos realizando novos exames, novos laudos, novas perícias no local do crime. Vamos concluir o inquérito em até 30 dias, que é o prazo da prisão".

De acordo com a polícia, o irmão gêmeo da vítima também foi agredido e teve um braço fraturado em dois lugares. As agressões teriam acontecido na semana passada e as crianças ficado em casa, durante alguns dias, sem receber atendimento médico.

O pai biológico dos meninos, que mora no Rio de Janeiro, chegou ao Espírito Santo na última segunda-feira (12) e tem acompanhado de perto a situação das crianças. Os dois garotos agora ficarão sob os cuidados do pai. O estado de saúde de um deles ainda é muito grave e o sangramento que ele teve no cérebro ainda não foi contido.

Queda

O caso dos irmãos gêmeos veio à tona depois que a mãe levou o filho desmaiado para o hospital. Lá ela disse que, dias antes, a criança, que estaria com o padrasto, teria caído de um degrau, na casa onde moram. No entanto, a história não convenceu os atendentes do hospital e, logo que a criança deu entrada na unidade, os atendentes procuraram o Conselho Tutelar e a delegacia.

Dois dias depois, a mãe teria afirmado que estava com o filho em casa e, de repente, a criança desmaiou. O menino foi internado em estado gravíssimo no Hospital Infantil de Vitória. Ele teve várias fraturas pelo corpo, hemorragia no fígado, traumatismo craniano e um sangramento no cérebro.

A outra criança também foi para o hospital e, depois de ser constatado que o braço estava quebrado em dois lugares, o menino foi liberado.