Preso no Rio quarto suspeito de participação na morte de moradora de Guarapari

Polícia

Preso no Rio quarto suspeito de participação na morte de moradora de Guarapari

Três suspeitos já haviam sido detidos. A jovem morava no Espírito Santo com a avó e estava no Rio de Janeiro para fazer uma surpresa para a mãe

Um dos suspeitos cofessou ter atirado na jovem Foto: Reprodução Facebook

Mais um suspeito de participação na morte da estudante Ana Beatriz Frade, de 17 anos, foi preso nesta quarta-feira (11). O suspeito foi identificado como Jefferson de Paiva Campos da Cruz, de 23 anos, e foi detido dentro de casa, em Fernão Cardim, no Rio de Janeiro.

De acordo com as investigações, Jefferson seria o encarregado de dirigir os carros roubados no arrastão. No domingo (8), três suspeitos de participação no crime, sendo dois adolescentes de 17 anos, foram detidos pela 44ª Delegacia de Polícia, em Inhaúma, na zona norte do Rio. De acordo com o delegado Fábio Salvadoretti, responsável pelas investigações, os dois menores disseram que os disparos foram efetuados por Douglas Paiva Santos Ventura da Silva, de 18 anos, que também foi detido.

Segundo a polícia, Douglas confessou que atirou na jovem. Ele teve a prisão decretada pela Justiça por latrocínio - roubo com morte. 

Segundo a polícia, o suspeito foi reconhecido por uma das motoristas roubadas no arrastão - uma policial militar que não teve o nome divulgado. A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que ainda realiza outras diligências para verificar se há outros envolvidos no crime.

O crime

O crime aconteceu no sábado (7), na zona norte do Rio. Ana Beatriz foi baleada dentro do carro após o padrasto dela furar o bloqueio feito por criminosos. O irmão da adolescente, de dois anos, também estava no veículo, mas não foi atingido. A menina morava em Guarapari com a avó e estava no Rio de Janeiro para fazer uma surpresa para a mãe.

Comoção em escola

Na manhã de segunda-feira (09), a equipe de reportagem da TV Vitória/Record esteve na escola particular onde Ana Beatriz cursava o 3º ano do ensino médio, em Guarapari. Abalados com a morte da jovem, os colegas de sala de aula pouco quiseram falar.