• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Foi a melhor notícia que recebi este ano', diz ex-mulher de padeiro preso em MG

Polícia

'Foi a melhor notícia que recebi este ano', diz ex-mulher de padeiro preso em MG

Após receber a notícia da prisão do ex-marido, a funcionária pública se diz aliviada e espera que ele pague pelo que fez com a irmã e almeja uma vida mais tranquila

Edgar foi preso em Minas Gerais Foto: TV Vitória

Na última segunda-feira (22) o padeiro Edgar Barreto Santos, acusado de matar a ex-cunhada Janiele das Neves Santos, de 24 anos, em agosto de 2015, foi preso em Minas Gerais. Ao receber esta notícia, a ex-mulher de Edgar não escondeu a alegria de ver preso o homem que a ameaçava e tirou a vida da irmã.

Atualmente com 29 anos, a funcionária pública ainda prefere não ser identificada, mas o sorriso no rosto voltou a aparecer. "Foi um alívio, uma paz. Minha vontade era de gritar. Foi a melhor notícia que recebi este ano", comemora.

Edgar foi preso pela Polícia Civil de Minas Gerais. De acordo com informações dos policiais, ele se apresentou no Departamento Estadual de Operações Especiais para saber se havia algum mandado de prisão em aberto contra ele. Ao verificar que o nome de Edgar estava entre os dez mais procurados do Espírito Santo, os policiais efetuaram a prisão.

Segundo investigações, Edgar planejou a ação durante oito meses. As marcas dos tiros ainda estão na porta da residência onde a família mora, em São Marcos, na Serra. As lembranças, no entanto, permanecem na memória da família. "Esquecer nós não vamos, mas é uma coisa que evitamos falar porque nos traz tristeza", conta a ex-mulher do acusado.

A polícia ainda informou que Edgar justificou o que fez relatando que recebia ameaças da vítima e do marido dela, que não aceitavam o relacionamento do acusado com a funcionária pública. Mas esta versão é contestada pela família. "Mais uma mentira dele. Minha família nunca ameaçou ele em nada. Depois que a gente terminou, eu não tive mais contato com ele. Pelo contrário, foi ele que ameaçou a gente", relata a irmã da vítima.

Após a prisão, o padeiro disse que estava arrependido, mas a ex-mulher não acredita e afirma que mesmo depois de ter assassinado Janiele, ele continuou atormentando a família. "Pessoas viram ele na rua aqui na Serra. Teve até ligações de madrugada e provavelmente foi ele", conta.

A funcionária pública lembra que, durante o namoro, Edgar começou a demonstrar ciúme excessivo e personalidade violenta. Um dia após o término do relacionamento, ele tentou matá-la. Com isso, ela chegou a procurar a polícia. Para ela, ele mostrou quem ele realmente era.

A proteção recebida, segundo a ex-mulher de Edgar, ficou apenas no papel. "A lei não foi cumprida. Não teve fiscalização nem acompanhamento psicológico. Ficou só no papel", lamenta.

Agora, com o coração mais acalentado, a funcionária pública espera que ele pague pelo que fez e almeja uma vida em paz junto com a família. "A tristeza vai continuar, mas é uma coisa que vai passando com o tempo. Ela deixou uma filha linda e jamais irá sair da nossa vida e da nossa mente. Saber que ele está preso já é satisfatório", finaliza.