• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Capitão da Polícia Militar reage a assalto e mata bandido em Cariacica

Polícia

Capitão da Polícia Militar reage a assalto e mata bandido em Cariacica

Caso aconteceu na manhã desta quinta-feira, no bairro Maracanã. Policial estava em uma caminhonete e atirou no criminoso de dentro do veículo

Criminoso foi baleado pelo PM e tentou correr, mas acabou morrendo na calçada Foto: Reprodução/TV Vitória

Um criminoso morreu após ser baleado por um capitão da Polícia Militar durante uma tentativa de assalto na manhã desta quinta-feira (31), no bairro Maracanã, em Cariacica. O suspeito estava acompanhado de um comparsa, que conseguiu fugir.

O caso aconteceu próximo a uma esquina da região, onde a caminhonete do policial estava estacionada. Ele estava no veículo com uma mulher, quando foi rendido por uma dupla de assaltantes, que tentaram roubar o carro. A ação foi registrada pela câmera de segurança de uma residência.

Um dos criminosos, que vestia uma blusa de capuz, chegou a apontar uma arma para as vítimas. No entanto, o policial, que estava na direção da caminhonete, conseguiu reagir e, de dentro do veículo, atirou no bandido.

O suspeito ainda tentou correr, mas caiu ferido na calçada e acabou morrendo no local. Já o comparsa dele fugiu em direção a um terreno baldio. Testemunhas disseram que um carro de cor prata teria dado fuga ao assaltante.

Câmera de segurança registrou o momento em que os criminosos se aproximaram do carro do policial para tentar assaltá-lo Foto: Reprodução

Com o rapaz morto, os policiais militares que foram acionados para atender a ocorrência encontraram uma pistola. Moradores do bairro estiveram na rua e acompanharam o trabalho da polícia. Até o momento, o homem que morreu não teve a identidade revelada.

O capitão da PM contou à reportagem da TV Vitória que foi ao local buscar um conhecido e que, no momento da abordagem, agiu de forma rápida e instintiva. Ele disse ainda que atua na corporação há mais de 27 anos e que nunca havia passado por qualquer situação parecida.