Médica é agredida com soco no rosto por paciente na UPA de Serra Sede

Polícia

Médica é agredida com soco no rosto por paciente na UPA de Serra Sede

Além disso, uma funcionária diz ter sido ameaçado de morte por uma outra paciente, na tarde desta quarta-feira

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória
Médica foi agredida durante um plantão na Upa de Serra Sede, na tarde de quarta-feira

Uma médica de 30 anos foi agredida com um soco do rosto por uma paciente, na tarde desta quarta-feira (30), durante um plantão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Serra Sede. Além disso, uma funcionária diz ter sido ameaçado de morte por uma outra paciente, poucos minutos depois.

A agressão aconteceu por volta das 17 horas. De acordo com essa funcionária, que preferiu não se identificar, a médica estava atendendo a paciente e, em determinado momento, fez uma ligação pelo celular para o hospital Jayme dos Santos Neves.

"A ligação não durou nem dois minutos e a paciente deu um soco no rosto dela, que ficou vermelho. Os consultórios em que os médicos atendem são muito pequenos e não tem como fugir de uma agressão", contou.

A agressora foi contida por seguranças da unidade de saúde, que não a deixaram sair do local. Ela e a médica agredida foram levadas para a Delegacia Regional da Serra para prestarem depoimento.

A funcionária afirmou ainda que, poucos minutos após a agressão, foi ameaçada de morte por uma outra paciente. "Ela estava gritando no corredor, falando palavras de baixo calão. Pedi para ela ter mais educação e falar mais baixo. Ela falou para mim que eu ia 'boiar' e fez um gesto de gatilho, me ameaçando", contou a servidora, que registrou um Boletim de Ocorrência sobre o fato.

Segundo a funcionária, no momento das agressões a Upa de Serra Sede não estava tumultuada e as pacientes não precisaram esperar muito tempo para serem atendidas.

"Não tinha motivo para isso acontecer, já que tinha pouca gente na unidade e a equipe estava completa, trabalhando normalmente. As pessoas precisam ter mais calma. Violência não resolve nada. O registro da ocorrência não tira o tapa ou o soco que a pessoa levou", afirmou.

Sindicato

Por meio de nota, o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (Simes) informou que a profissional se encontrava em seu consultório, por volta das 17 horas desta quarta-feira (30), quando a paciente foi chamada na tela. Seria sua 38ª paciente no plantão.

Segundo o sindicato, após o atendimento e consulta, acompanhadas das orientações à paciente, a agressora demonstrou irritação com a não resolutividade do serviço, uma vez que a médica estava em contato com o hospital Jayme dos Santos Neves para tentar ajudá-la.

Ainda de acordo com o Simes, a agressão aconteceu quando a médica disse que nada mais podia ser feito, além de procurar a direção da UPA para melhor entendimento do caso. Em seguida, ela foi agredida com um soco no rosto.

Prefeitura

Também por nota, a Prefeitura da Serra informou que houve uma tentativa de agressão a uma médica, que não se concretizou pela ação da segurança, que atua 24 horas na Upa de Serra-Sede. 

De acordo com a prefeitura, o paciente e a médica foram encaminhados para a delegacia para a produção de boletim de ocorrência.

A administração municipal afirmou ainda que, além da segurança armada 24 horas, a Upa conta com gestor dentro da unidade 24 horas e portas de segurança.