Mulher que teve braço quebrado pelo ex-companheiro diz que ainda é ameaçada

Polícia

Mulher que teve braço quebrado pelo ex-companheiro diz que ainda é ameaçada

O crime aconteceu há um mês e, desde então, o suspeito já teria descumprido três medidas protetivas

Foto: Reprodução TV Vitória

Um dia de paz e tranquilidade! Esse é o desejo da dona de casa, de 35 anos, que foi agredida pelo companheiro, após se recursar a entregar dinheiro que havia separado para comprar a botija de gás. O homem queria a quantia para comprar drogas. Mesmo após pedir uma medida protetiva, ela ainda é perseguida e ameaçada pelo suspeito. 

Foto: Reprodução TV Vitória

A agressão aconteceu no final de abril, no bairro Novo Brasil, em Cariacica. Na época, a mulher contou que o homem usou um pedaço de madeira para agredi-la porque ela se negou a dar R$ 80 para ele. A mulher chegou a ficar desacordada no meio da rua e precisou passar por uma cirurgia. Ela teve o braço quebrado e agora vive com nove pinos no corpo e enfrenta dificuldades.

Como o suspeito fugiu do crime, após se recuperar a vítima procurou a Polícia Civil e solicitou uma medida protetiva. A mulher foi para a casa dos pais e quando pensou que tudo iria se resolver decidiu retornar para casa. 

No entanto, a tranquilidade da mulher durou pouco. A história dela ganhou mais um capítulo de sofrimento quando o rapaz voltou a procurá-la. Segundo ela, o homem a persegue e já descumpriu a medida protetiva três vezes.

"Ele estava em cima da laje do pai dele quando me viu. Ele se escondeu atrás da janela para eu não ver ele, mas quando olhei de novo, eu vi ele. Ele apareceu com uma faca na mão em cima da casa. Depois desceu correndo, subiu em um pé de coco e ficou me vigiando", relatou a mulher. 

A mulher coleciona boletins de ocorrência que fez contra o ex-companheiro, de 27 anos. A agressão que ocorreu no fim do mês passado é investigada pela Delegacia de Atendimento a Mulher do município. No último sábado (15), a filha de nove anos precisou ajudar a mãe e acionou a polícia. "Eu corri para pedir ajuda. Minha filha veio e eu disse para ela ir chamar a ajuda".

De acordo com a vítima, os policiais abordaram o suspeito e pediram a documentação da medida protetiva. Ela conta que forneceu todos os documentos, mesmo assim o homem foi liberado. "Os policiais conversaram com ele, falaram que ele estava errado e pediram para ele ir embora. Explicaram que ele estava descumprindo a lei. O policial me garantiu que ele ia embora", contou.

A mulher disse que foi só os policias deixarem o local para que ela fosse agredida. Dessa vez, pela cunhada que saiu em defesa do irmão. A mulher procurou a delegacia e foi informada que a polícia aguarda uma decisão judicial para que o homem seja preso pelo descumprimento da medida, enquanto o inquérito não é finalizado. Entretanto, a vítima teme que não possa esperar por muito tempo, pois tem medo do que pode acontecer.

"Eu tenho que viver minha vida com medo de sair na rua. Tenho que ficar na casa dos meus pais, sendo que é ele que está errado, porque já são três medidas quebradas. Por que ele ainda está assim?", questionou a mulher.

Em nota, a Polícia Militar informou que, no último sábado (15), uma solicitante entrou em contato, via Ciodes, informando que o ex-marido estava no local e que tinha duas medidas protetivas contra ele. Os militares foram até ao bairro e mantiveram contato com as partes.

*Com informações da repórter Jessica Cardoso, da TV Vitória/Record TV.