• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cinco suspeitos de tráfico são presos com mais de R$ 90 mil na Serra

Polícia

Cinco suspeitos de tráfico são presos com mais de R$ 90 mil na Serra

Entre os presos está uma cabeleireira e outras duas mulheres envolvidas no tráfico de drogas. Além do dinheiro, a polícia também apreendeu drogas e máscara

Foram cerca de R$ 93 mil em dinheiro apreendido Foto: TV Vitória

Um homem, apontado como um dos chefes do tráfico de drogas de Carapina Grande, na Serra, foi preso com cerca de R$ 93 mil em dinheiro. A quantia foi encontrada por policiais da Ronda Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) dentro da casa de Marcelo Henrique Mota. Além dele, uma cabeleireira, que pediu para não ser identificada, e Fábio Roberto de Almeida foram detidos. Eles teriam sido recrutados por Marcelo para atuarem no tráfico. 

A mulher saiu do presídio de Tucum, em Cariacica, cinco anos depois de cumprir pena por tráfico de drogas. No entanto, teria aceitado a proposta de entregar crack a um dos clientes da quadrilha. “Eu só ia entregar a mercadoria a uma pessoa que sabia a roupa que eu estaria usando. Eu nem sabia com quem eu ia pegar a droga, e para quem eu entregaria”, contou a cabeleireira. 

A perseguição dos policiais à gangue começou quando eles viram Fábio passando de carro em direção a casa de Marcelo. Ele estava apanhando a droga para depois entregá-la à cabeleireira em um salão de beleza, no mesmo bairro.

“Houve uma oportunidade, onde eu me vi sem dinheiro. Estava passando por necessidades e tem um tempo que estou sem trabalhar, também estava tomando medicamento por conta própria para não ficar nervosa. Eu não conseguia trabalho, pois as pessoas viam que eu já tinha passagem”, disse a mulher.

Além da cabeleireira, mais duas mulheres, uma de 37 anos e outra de 24 anos, foram detidas. Com elas os policiais apreenderam maconha, cocaína, dinheiro e até uma máscara do pânico. Eles foram autuados por tráfico de drogas, associação para o tráfico e foram levados para presídios da Grande Vitória.