Força tarefa com 70 policiais civis em Vitória para recuperar armas roubadas de delegacias

Polícia

Força tarefa com 70 policiais civis em Vitória para recuperar armas roubadas de delegacias

Segundo superintendente, nenhuma arma foi localizada e ninguém foi detido. No entanto, policiais encontraram materiais que podem ter sido usados nos arrombamentos

Operação em Vitória contou com a participação de cerca de 70 policiais civis Foto: Lilian Soares/TV Vitória

Cerca de 70 policiais civis participaram de uma megaoperação em dois morros de Vitória, na tarde desta segunda-feira (08), para tentar recuperar as armas furtadas de três delegacias da Grande Vitória, nos últimos dias. O caso mais recente aconteceu na madrugada desta segunda, quando criminosos arrombaram a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), na capital.

A operação teve início por volta das 13 horas e durou até o final da tarde. O helicóptero da polícia foi usado para auxiliar nas buscas.

De acordo com o superintendente de Polícia Especializada, delegado José Darcy Arruda, nenhuma arma foi localizada e ninguém foi detido. No entanto, os policiais encontraram, em uma casa abandonada, materiais que podem ter sido usados em um dos arrombamentos. Segundo o delegado, a polícia está perto de chegar aos criminosos.

"Estamos muito próximos [de chegar até os bandidos] e não vamos descansar enquanto não recuperarmos essas armas e prendermos esses autores. É um compromisso que assumimos com a sociedade capixaba. As operações vão continuar e todas as delegacias especializadas estão mobilizadas nessa força tarefa", ressaltou Arruda.

O superintendente afirmou ainda que a polícia já tem informações "adiantadas" sobre os acusados, mas não pode divulgar mais detalhes para não atrapalhar as investigações. "Essa incersão de hoje não foi aleatória. Ela foi orientada pelo nosso serviço de inteligência. Portanto já temos informações e vamos continuar trabalhando em cima delas para recuperar essas armas o mais rápido possível".

DPCA foi arrombada na madrugada desta segunda-feira Foto: TV Vitória

Segundo José Darcy Arruda, os criminosos que arrombaram a DPCA, nesta segunda, provavelmente não sabiam onde as armas estavam guardadas, já que a delegacia foi toda revirada. 

"As pessoas que entraram na delegacia vasculharam todos os cômodos, arrebentaram os armários, abriram as gavetas e chegaram onde estavam as armas, em um armário bem lacrado no andar de cima. Portanto, eles não foram direto às armas", declarou.

O delegado disse ainda que os bandidos conseguiram localizar os sistemas de alarme e videomonitoramento e conseguiram cortar a fiação. Com isso, o alarme não disparou e o crime não foi registrado pelas câmeras de segurança.

Outros casos

Na madrugada do dia 31 de maio uma sala do 6º Batalhão da Polícia Militar, na Serra, foi arrombada e, segundo informações extraoficiais, uma grande quantidade de armas foi levada. Os criminosos teriam entrado no Batalhão após arrombarem a porta com uso de uma marreta.  

Já no dia 29 de maio, bandidos arrombaram a Delegacia Especializada em Atendimento a Mulher (Deam), em Vitória. De acordo com policiais, os criminosos conseguiram levar uma arma e objetos pessoais de quem trabalha no local.

Em março de 2014, durante o carnaval, na mesma delegacia, um homem entrou no local pela janela, e levou uma arma de fogo. Na época, policiais contaram que uma viatura da polícia foi incendiada.

Delegacias do interior também já foram invadidas. No município de Cachoeiro de Itapemirim, dois homens foram presos após arrombarem a Delegacia da Mulher. De acordo com a polícia, os criminosos procuravam objetos de valor, drogas e armas.