Audiência deve decidir se ex-PM acusado de matar namorada vai a júri popular

Polícia

Audiência deve decidir se ex-PM acusado de matar namorada vai a júri popular

Ainda faltam prestar depoimento outras três testemunhas de acusação. Em seguida, serão interrogadas as oito testemunhas de defesa e o próprio réu

No dia do crime, ele disse à polícia que a jovem havia sido sequestrada Foto: TV Vitória

Será retomada nesta segunda-feira (4), a partir das 10 horas, a audiência de instrução do processo sobre o assassinato da jovem Ana Clara Cabral Félix, ocorrido em fevereiro do ano passado. O namorado dela na época, o ex-policial militar Itamar Rocha Lourenço Júnior, é suspeito de ter cometido o crime.

Os primeiros depoimentos dessa fase do processo foram tomados no último dia 15, no Fórum Desembargador João Manoel de Carvalho, em Serra-Sede, onde os trabalhos serão retomados. 

Na ocasião, foram ouvidas cinco testemunhas de acusação. Ainda faltam prestar depoimento outras três de acusação. Em seguida, serão interrogadas as oito testemunhas de defesa do ex-PM e o próprio réu. Depois disso, deverá ser definido se Itamar vai a júri popular e quando isso deve ocorrer.

Audiência de instrução

Durante a audiência de instrução do processo, são ouvidas testemunhas, ocorre o interrogatório do réu e, se for o caso, são apresentadas as alegações finais. No final dessa audiência, o juiz pode ou não decidir se pronuncia ou não o acusado, ou seja, se ele vai ou não a júri popular. Quando o juiz decide pela pronúncia, ele não está decidindo se o réu é ou não culpado, mas se há indícios de autoria do crime.

De acordo com informações da Vara Criminal onde corre o processo, não será permitida a entrada da imprensa na audiência, principalmente por ausência de uma estrutura física, de espaço, para qualquer pessoa, além dos envolvidos na audiência, assistirem à mesma. Entretanto, caso o acusado vá a júri popular, aí sim será permitida a entrada da imprensa para assistir ao julgamento.

O crime

O ex-soldado Itamar Rocha Lourenço Júnior é suspeito de assassinar a tiros a namorada Ana Clara Cabral Félix, na época com 19 anos, no dia 5 de fevereiro do ano passado. O crime aconteceu na Rodovia do Contorno, na Serra

No dia do crime, ele disse à polícia que a jovem havia sido sequestrada. No entanto, horas depois, foi preso em flagrante por homicídio duplamente qualificado. Ana Clara e Itamar namoravam há cerca de dois anos. 

Cerca de seis meses após o crime, o suspeito foi expulso da Polícia Militar. Segundo a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), Itamar Rocha Lourenço Junior está preso na Penitenciária de Segurança Máxima I, em Viana, desde o dia 19 de janeiro deste ano. Em fevereiro de 2015 o ex-militar foi levado para o Quartel da PM e permaneceu no presídio militar até ser expulso da corporação.