• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

“O clima está tenso em Paris”, diz jornalista capixaba após atentado que matou 84 pessoas

Polícia

“O clima está tenso em Paris”, diz jornalista capixaba após atentado que matou 84 pessoas

O atentado aconteceu na quinta, na Promenade des Anglais, no coração do balneário turístico de Nice, onde dezenas de milhares de franceses e estrangeiros acabavam de acompanhar os fogos

Raquel foi à Paris para acompanhar atletas capixabas Foto: Reprodução/ TV Vitória

A jornalista capixaba Raquel Medeiros contou como está a situação do País após o atentado que matou 84 pessoas na última quinta-feira (14). Raquel está em Paris acompanhando uma delegação de atletas capixabas de handebol e futsal

Segundo a jornalista, os moradores estão tensos após o atentado. “O clima está tenso em Paris. Ontem foi feriado nacional e a segurança foi reforçada. É possível ver as pessoas andando na rua com medo. Vários policiais estão andando pelas ruas armados para evitar uma nova tragédia”, disse Raquel. 

Os atletas capixabas que estavam no País foram embora antes do atentado. “Os atletas estão assustados, mas a delegação brasileira foi embora na última quinta-feira (14) antes de acontecer o atentado. Eles já estão chegando no Brasil”, contou. 

O atentado

O atentado aconteceu por volta das 22h45 de quinta-feira (14), na Promenade des Anglais, no coração do balneário turístico de Nice, onde dezenas de milhares de franceses e estrangeiros acabavam de acompanhar os fogos de artifício dos festejos públicos da festa nacional de 14 de Julho, Dia da Bastilha. Entre as vítimas ainda em atendimento, estão crianças, a maior parte com traumatismo craniano e fraturas graves.

A polícia francesa identificou o autor do ataque em Nice, na França, que deixou 84 mortos e 18 feridos em estado crítico: trata-se de um franco-tunisiano de 31 anos, residente na cidade e que tinha passagens pela polícia por violência a mão armada, mas não por radicalização jihadista.