Suspeito de assassinar ajudante de pedreiro no interior de Cachoeiro ainda não foi localizado

Polícia

Suspeito de assassinar ajudante de pedreiro no interior de Cachoeiro ainda não foi localizado

O homem de 65 anos foi morto quando chegava em casa com a companheira, que contou que ele não teve chances de se defender do agressor, que fugiu após o crime

Jaci Henrique da Silva, de 65 anos, foi morto quando chegava em casa após o trabalho Foto: ​Reprodução

A Polícia Civil de Cachoeiro de Itapemirim segue com as investigações para apurar o assassinato do ajudante de pedreiro Jaci Henrique da Silva, de 65 anos, ocorrido na noite da última quinta-feira (7), na localidade de Timbó, zona rural de Cachoeiro de Itapemirim. Ele chegava em casa com a companheira, quando foi surpreendido pelo agressor. A vítima foi atingida com golpes de machado. O crime aconteceu por volta das 18h20.

De acordo com informações da Polícia Militar, familiares contaram que o suspeito é um vizinho da vítima. Ainda, segundo os familiares, a companheira da vítima presenciou o crime e viu o momento em que o vizinho pulou o muro e atingiu o ajudante de pedreiro pelas costas. Eles acreditam que o crime tenha sido motivado por ciúmes.

Jaci Henrique da Silva era viúvo e pai três filhas, e morava com Marilene Soares. Ela contou que o marido estava afastado do trabalho, mas que retornaria nos próximos dias. Antes de voltar, eles tinham programado uma viagem juntos pelo litoral capixaba.

Após o crime, o agressor fugiu pelos fundos da residência e não foi localizado pela Polícia Militar, que realizou buscas pela região. Nesta sexta-feira (8), a polícia localizou e apreendeu um machado, próximo à residência do ajudante de pedreiro e que pode ter sido usado no crime.

Segundo o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV), Guilherme Eugênio, responsável pelo caso, o motivo teria sido um envolvimento da vítima coma ex-companheira do autor. "Apreendemos o machado usado no crime e estamos ouvindo as testemunhas. O autor já foi identificamos e vamos pedir a prisão nos próximos dias", comenta. O suspeito do crime ainda não foi localizado.