• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Dupla de Santa Catarina especializada em arrombar bancos é presa no Espírito Santo

Polícia

Dupla de Santa Catarina especializada em arrombar bancos é presa no Espírito Santo

Segundo a polícia, Tiago Bispo e João Vitor Cordoba já haviam tentado furtar uma agência em Goiabeiras, Vitória, e planejavam arrombar outras duas no ES

Segundo a polícia Tiago (esquerda) e João Vitor arrombaram uma agência em Goiabeiras

Uma dupla da cidade de Joinville, em Santa Catarina, especializada em arrombar cofres e caixas eletrônicos em agências bancárias foi presa no Espírito Santo, na manhã do último sábado (28). Segundo a polícia, Tiago Bispo, de 31 anos, e João Vitor Cordoba, de 29, tentaram arrombar o cofre de uma agência bancária em Goiabeiras, Vitória, no dia 31 de maio.

Ainda de acordo com as investigações, os dois também planejavam arrombar o cofre de outras duas agências no Estado: uma em Jardim América, Cariacica, e outra em Jardim Limoeiro, na Serra. Para isso, eles voltaram ao Espírito Santo, na semana passada, e passaram seis dias circulando por terras capixabas até serem pegos.

Segundo a polícia, Tiago e João Vitor são caixeiros, ou seja, bandidos especializados em arrombar cofres e caixas eletrônicos de forma discreta, sem chamar atenção. 

"Eles conseguem entrar normalmente pelos fundos, até chegar ao cofre. Eles já sabem onde fica o cofre - costuma ser um padrão dentro dos bancos - e quando eles conseguem ingressar no interior da agência, sem que o alarme seja acionado, eles ficam por mais de duas horas para poder abrir um cofre", explicou o chefe do Departamento de Investigações Criminais (DEIC), delegado Romualdo Gianordolli.

Segundo a polícia, os bandidos entraram por um buraco feito na parede do banheiro feminino da agência | Foto: Reprodução

No dia da tentativa de furto à agência de Goiabeiras, a dupla teve acesso ao local entrando por um buraco, aberto na parede do banheiro feminino. Em seguida, eles cortaram os fios do sistema de alarme e dos telefones do banco e chegaram até a sala onde fica o cofre da agência. Os criminosos se preparavam para arrombar o cofre, mas desistiram ao receberem a informação, de um terceiro envolvido, de que eles estariam sendo observados.

"Eles entraram para forçar o cofre, cortaram cabos de alarme, cabos de comunicação, entraram pela tesouraria do banco, por um buraco que fizeram e iam começar a trabalhar, mas um terceiro indivíduo, que estava no exterior do banco, avisou que um vizinho tinha observado uma movimentação estranha. Então eles acharam por bem abortar esse furto e, por isso, não atingiram o seu objetivo", disse Gianordolli.

Depois da tentativa frustrada, os suspeitos voltaram para Santa Catarina. No entanto, eles foram identificados pela polícia, que conseguiu mandados de prisão preventiva contra a dupla.

Câmera registrou o momento em que os criminosos entraram na agência | Foto: Reprodução

No último sábado, por volta das 5h30, Tiago foi até as proximidades da agência bancária de Jardim América e, a bordo de um carro alugado, passou mais de duas horas monitorando a região. O que ele não sabia, no entanto, é que ele estava sendo observado, já que policiais civis estavam de campana. Por volta das 8 horas, quando o suspeito se preparava para ir embora, ele foi abordado pelos policiais, que deram voz de prisão.

Logo depois, eles seguiram até o hotel onde a dupla estava hospedada e, no local, os policiais também prenderam João. Em depoimento, os suspeitos confirmaram as ações criminosas e disseram ainda que escolhem dia e hora para arrombar guiados pelo coração.

"Eles falaram, com essas palavras, que quando dá no coração eles cometem os furtos. Eles não tinham dia certo para cometer esses furtos", ressaltou o delegado.

Tiago e João Vitor foram presos por associação criminosa e tentativa de furto. De acordo com a Polícia Civil capixaba, os suspeitos já possuem passagens por Santa Catarina, Goiás, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Sergipe e São Paulo, pelos mesmos crimes.