• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Presos pela morte de irmãos fizeram consórcio criminoso para retomar domínio no Morro da Piedade

Polícia

Presos pela morte de irmãos fizeram consórcio criminoso para retomar domínio no Morro da Piedade

Os seis presos, junto com os três foragidos, foram expulsos do morro em 2012 pela família Ferreira Dias

As imagens dos suspeitos foram apresentadas em coletiva / Foto: Arleson Schneider

O grupo envolvido na morte dos irmãos Ruan Reis e Damião Marcos Reis, e também no homicídio de Wallace de Jesus Santtana, teria feito consórcio criminoso para retomar o controle do tráfico no Morro da Piedade, em Vitória

De acordo com o titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, delegado Marcus Vinícius, os seis presos, junto com os três foragidos, foram expulsos do morro em 2012 pela família Ferreira Dias, que é a do João Paulo, preso na semana passada em Viana.

"Essas pessoas, nós apuramos durante as investigações, que elas teriam realizado um consórcio criminoso para retomar o Morro da Piedade. São pessoas que foram expulsas do morro, juntamente com as suas famílias, no ano de 2012. Eles teriam sido expulsos pela família Ferreira Dias, e no início de 2018 eles se juntaram na tentativa de tomar o morro da família que vinha dominando o tráfico na localidade", disse o delegado.

Segundo a polícia, os irmãos foram abordados pelo grupo criminoso para que falassem onde estava João Paulo. Como não sabiam o paradeiro dele, acabaram mortos. "Os criminosos invadiram o morro na tentativa de localizarem o João Paulo Ferreira Dias, que foi preso na semana passada. Eles pegaram um dos irmãos, que seria o Ruan, e tentaram obrigá-lo a indicar onde estaria o João Paulo. Como o Ruan não sabia onde o João Paulo estava, os criminosos tiraram a vida dele. O Damião, tentando salvar o seu irmão, e foi morto também de forma muito violenta pelos criminosos”, explicou o delegado.

Gean, Alan e Rafael fazem parte do grupo e estão foragidos / Foto: Reprodução

Ainda de acordo com Marcus Vinícius, os irmãos que foram assassinados não tinham nenhum envolvimento com o tráfico de drogas e foram mortos por engano. “Os irmãos não tinham envolvimento com o tráfico de entorpecentes. As investigações apontam que eles eram pessoas de bem e infelizmente perderam as vidas por conta da disputa pelo ponto de venda de entorpecentes", disse.

Na prisão que aconteceu durante a operação “Dois irmãos”, realizada pela equipe da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, com apoio das DHPPs de Vila Velha, Viana, Cariacica, Serra, Guarapari, Delegacia de Homicídio e Proteção à Mulher (DHPM), seis suspeitos foram presos. Além deles, a polícia divulgou as imagens de três suspeitos que estão foragidos.

Os presos foram identificados como Célia Nilza Wanzeler, Gustavo Batista Lemos, conhecido como “Fefê”, Bruna Lemos souza, Flávio Sampaio, conhecido como “Coroa”, Renato Correia Ramos e Leandro Correia Ramos, conhecido como “Bomba”. Gustavo, Célia e Bruna são primos e Leandro e Renato são irmãos e foram criados no Morro da Fonte Grande. Os foragidos foram identificados como Rafael Batista Lemos, Gean Gaia de Oliveira, conhecido como "Chocolate" e Alan Rosário de Oliveira.

De acordo com a polícia, Flávio foi preso em Jardim Botânico, em Cariacica, Renato em Morada de Campo, também em Cariacica. Já em Vitória, Célia foi detida em Estrelinha, Leandro no bairro Grande Vitória e Gustavo e Bruna em Santo Antônio.

Confira as fotos dos suspeitos presos:

Bruna Lemos Souza, 23 anos e estudante de direito











Célia Nilza Wanzeler, 28 anos











Gustavo Batista Lemos, 21 anos, conhecido como "Fefê"











Leonardo Correia Ramos Barcelos, conhecido como "Bomba"











Renato Correia Ramos