Baile clandestino prejudica rotina de moradores em Vila Velha

Polícia

Baile clandestino prejudica rotina de moradores em Vila Velha

Algumas das ocorrências são registradas em um posto de combustíveis localizado no bairro Cobilândia

Foto: Reprodução / TV Vitória

Bailes clandestinos no bairro Cobilândia, em Vila Velha, têm dificultado a vida de quem mora na região. Música alta, aglomeração, uso de drogas e até tiros estão começado durante a noite e terminado na manhã do dia seguinte.

De acordo com um morador do bairro, que preferiu não se identificar, além dos horários incômodos, os dias de realização dessas festas também impressionam, pois segundo ele, alguns desses bailes acontecem até mesmo durante a semana.

"Eu não durmo mais a partir de 1 hora todas as sextas, sábados e domingos e às vezes durante a semana. Começou em março do ano passado no início da pandemia quando paralisaram as casas de festa. Eu acho que eles migraram para essa situação de baile funk nas ruas e nos postos".

O homem disse que não sai do local porque não tem condições de morar em outra região. Ele disse que não aguenta mais perder noites de sono.

"O som é alto demais. Meu filho não dorme mais no quarto dele porque se assusta".

Posto de combustíveis

Boa parte das ocorrências são registradas em um posto de combustíveis localizado às margens da Rodovia Carlos Lindemberg, em Vila Velha. 

Um funcionário do local, que não quis se identificar, contou que os frentistas e as atendentes da loja de conveniência ficam sem saber o que fazer já que os carros surgem em grande quantidade e todos ao mesmo tempo.

Outros funcionários não foram autorizados a dar entrevista, mas disseram que quando os eventos clandestinos começam a se concentrar no posto, eles tentam dispersar e orientar os grupos, mas são constantemente ignorados.

Serviços disponíveis

Quem mora no local coleciona protocolos da prefeitura. Os contatos pelo telefone 162 são constantes, seja para o disque silêncio, para a Guarda Municipal e para qualquer outro serviço.

"No ano passado eu nem conseguia falar com esse número porque ninguém atendia. Nas vezes que eles me atendiam, falavam que o sistema estava com problema. Depois do mês de junho começaram a atender, eu consegui fazer os protocolos. Em algumas respostas eles diziam que não foram ao local porque tinha muitas chamadas".

A equipe de jornalismo da TV Vitória tentou entrar em contato com o posto de combustíveis mas não obteve retorno. Por nota, a Polícia Militar disse que a fiscalização das festas clandestinas cabe à prefeitura, mas mesmo assim, segue atuando em conjunto com os municípios ou sempre que é acionada.

A prefeitura de Vila Velha informou que realiza o trabalho de identificação e fiscalização para coibir festas clandestinas e que as denúncias podem ser feitas pela ouvidoria e pelo setor de inteligência da Guarda Municipal.

* Com informações do repórter Douglas Camargo, da TV Vitória/RecordTV