Duas motos são roubadas por hora no Espírito Santo

Polícia

Duas motos são roubadas por hora no Espírito Santo

Os dados são da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) e se referem ao mês de maio

Foto: Reprodução / TV Vitória

Os motoboys tem se tornado vítimas constantes da criminalidade. Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) apontam que, somente no mês de maio, cerca de duas motos foram roubadas por hora no Espírito Santo, uma média de 55 por dia.

Um desses casos aconteceu com um entregador de lanches em Cariacica. Ele preferiu não se identificar, mas contou que foi abordado por criminosos durante uma entrega a noite

"De uma hora para outra chegaram dois indivíduos armados, de moletom e capuz. Eles mandaram eu descer da moto, apontaram a arma para mim e me deram uma porrada nas costas para eu descer logo. Na hora eu não acreditei e acabei ficando sem reação. Só levantei a mão e fiquei perto da moto", contou o entregador.

Em segundos, o rapaz que é casado, viu a ferramenta de trabalho ser levada pelos bandidos.

Problema constante

O caso deste entregador não é algo isolado. Só em maio, 1.711 moto foram roubadas no Espírito Santo. Por dia, foram registrados 55 roubos, resultando em uma média de duas motocicletas roubadas por hora em todo o Estado.

O entregador Hendrew da Silva também entrou para a estatística. Ele trabalha para uma lanchonete no bairro Vasco da Gama, em Cariacica. O rapaz disse que teve a moto roubada quando a estacionou para fazer uma entrega.

"Quando eu parei na calçada para chamar o cliente e fazer uma entrega, pararam três indivíduos em uma moto e me abordaram. Eles chegaram me puxando pelas costas, mandando eu sair da moto. Levaram minha moto na contramão da avenida", lembrou.

O assalto ocorreu o bairro Cobilândia, em Vila Velha. Hendrew contou que recebeu a ajuda da cliente que estava atendendo.

"Quando eles saíram do local eu chamei a cliente para ela comunicar a loja que eu tinha sido assaltado. Entreguei o lanche para ela e depois mandaram alguém me buscar", disse o trabalhador.

Hendrew é casado e mora de aluguel com a esposa. Ele não sabe como vai fazer para pagar as contas sem o veículo. "A expectativa é que eu recupere a moto para voltar a trabalhar o mais rápido possível porque eu tenho contas a pagar ".

Entrega inusitada

Um caso pouco comum aconteceu com um motoboy de 21 anos. Com ele, foram os próprios criminosos que fizeram a encomenda.

"Eu estava trabalhando em um restaurante durante a tarde e quando eu cheguei no local pra fazer a entrega, eu fui abordado pelos dois rapazes. Um estava armado. Eles pediram duas pizzas e ainda levaram elas sem pagar", contou o rapaz.

O jovem trabalha fazendo entregas por aplicativo e durante esse período já foi assaltado outras duas vezes.

Grande frota e grande insegurança

Os profissionais da área tem sofrido. Quando não são vítimas, ficam sabendo de amigos que foram prejudicados pela criminalidade. Segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, a frota nacional de motocicletas gira em torno de 28 milhões de unidades.

O presidente do Sindimotos do Estado, Alexandro Costa, diz que não é exagero dizer que todos os dias tem motoboy ou entregador assaltado.

"Cada dia está piorando mais. O índice de roubo a motocicleta tem crescido. Assalto de motociclista tem crescido e é tanto que hoje quando o motoboy vai comprar uma moto nova, ele acaba indo nas oficinas comprar tanque amassado por causa do número de assaltos, tanto ao motociclista, quanto ao veículo", afirmou.

Desfecho positivo

Um outra vítima recente desse tipo de crime relatou que no bairro São Francisco, em Cariacica, local onde ele mais roda, são inúmeros os casos de motos levadas por criminosos.

Ansioso para encontrar a moto, o rapaz espalhou fotos do veículo nas redes sociais. Nesse período ele recebeu uma ligação de uma pessoa dizendo que viu a motocicleta.

"Falaram que estava em um bairro próximo a São Francisco, mandaram até foto. Como eu conheço bastante gente e divulguei bastante, aí as pessoas estão me ajudando. Se Deus quiser eu vou recuperar ela", disse o trabalhador.

De uma coisa, o entregador tem certeza. Apesar da importância da moto, a vida vale mais do que uma moto.

"Recomendo não reagir nunca. Até passou pela minha mente reagir na hora, mas eu vi que a arma era de verdade. Essas pessoas saem para a rua sem preocupação nenhuma. Eles não tem nada a perder, quem tem a perder é a gente. Se eu reagir eu posso perder minha vida, então é melhor perder um bem material, porque a gente corre atrás e consegue", ressaltou a vítima.

Na tarde desta sexta-feira (09), o entregador que teve a moto roubada no bairro São Francisco, em Cariacica, relatou à equipe de jornalismo da TV Vitória/Record TV que conseguiu recuperar o veículo.

* Com informações do repórter Douglas Camargo, da TV Vitória/Record TV.