Polícia

Golpe do estorno do Pix: como funciona e como se proteger

Descubra como funciona a modalidade criminosa e veja dicas para se proteger. Fique atento e evite prejuízos!

Maria Clara Leitão

Redação Folha Vitória
Foto: Marcelo Casal Jr | Agência Brasil

O Pix, modo de transferência monetária instantâneo e de pagamento eletrônico instantâneo, se tornou um queridinho dos brasileiros pela facilidade e praticidade. Segundo o Banco Central, apenas na última sexta-feira (05) foram realizadas 224,2 milhões de operações em 24h.

Entretanto, com o aumento de transações e usuários, também é crescente a preocupação com possíveis golpes que tentam retirar dinheiro de usuários. 

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Como funciona o golpe do estorno do Pix

Nas redes sociais, a conta “Um Golpe por Dia” divulgou um novo golpe, na última semana, relacionado ao estorno do Pix. Ele consiste em acionar o Mecanismo Especial de Devolução (MED) para retirar o dinheiro.

Veja a explicação: 

"Um homem recebeu um Pix de R$ 700 na conta por engano. A pessoa que realizou o Pix entrou em contato com o titular da conta e pediu o dinheiro de volta.

O homem então fez outro Pix para devolver a quantia para a conta. Mas depois, ele viu que os R$ 700 do Pix original também tinham sumido. Ou seja, ele recebeu os 700 e perdeu R$ 1.400.

O dono da outra conta havia habilitado o Mecanismo Especial de Devolução (MED), no Pix original, uma ferramenta do Banco Central para recuperar dinheiro do golpe do Pix. Mas, nesse caso, o cara usou o próprio MED para dar o golpe", destaca. 

Como se proteger do golpe do Pix? 

Em entrevista ao Folha Vitória, o titular da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC), delegado Brenno Andrade, acredita que mesmo que o criminoso entre em contato informando sobre uma falsa transferência, o banco tem mecanismos para identificar se é ou não fraudulenta.

"A partir dessa análise, pode ressarcir o valor da conta para a pessoa que fez o Mecanismo Especial de Devolução (MED). Se transferir para a conta dos criminosos, caso a vítima reclame, entendemos que o banco tem a obrigação de ressarcir a vítima", ressalta o delegado. 

Até o momento, a delegacia não registrou nenhuma ocorrência. Mas, ao mesmo tempo, ele aconselha que, caso o usuário seja vítima do golpe, é necessário um registro do boletim de ocorrência online. 

LEIA TAMBÉM: Rastros de nuvens chamam a atenção no céu da Grande Vitória; entenda o que é

Pontos moeda