• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Acusados de matar cabeleireira em 2015 vão a júri popular nesta quarta-feira

Polícia

Acusados de matar cabeleireira em 2015 vão a júri popular nesta quarta-feira

O primeiro a depor foi um cabeleireiro que, de acordo com a Polícia Militar, teria guardado a arma do crime

Foto: Reprodução / TV Vitória

Os acusados de envolvimento na morte da cabeleireira Maria Lucas Moura, ocorrido em maio de 2015, passam por júri popular nesta quarta-feira (01). A previsão é de que três réus sejam ouvidos. O primeiro a depor foi um cabeleireiro que, de acordo com a Polícia Militar, teria guardado a arma do crime.

A júri acontece na 1ª Vara Criminal de Vitória. No banco dos réus estão quatro pessoas acusadas de tramar a morte da cabeleireira. Entre elas, Darliane Pedrosa da Silva, apontada como mandante do crime.

O cabeleireiro, primeiro a depor, confessou que guardou o revólver calibre 38, mas disse que não tinha conhecimento que a arma teria sido usada para matar alguém. Ele também negou conhecer a cabeleireira.

A expectativa era de que os quatro acusados no crime fossem ouvidos, mas Thiago Andrade Dimas, apontado como o homem que atirou na cabeleireira, não será ouvido a pedido da própria defesa. Ainda não se sabe a nova data para o depoimento. A expectativa é que os depoimentos aconteçam durante toda esta quarta-feira. Ao final, os três réus sairão do Tribunal do Júri já sentenciados.

A cabeleireira foi assassinada dentro do salão de beleza que ela mantinha em Jucutuquara, Vitória. Segundo a polícia, a morte foi tramada por Darliane, que era amiga de Maria. O motivo seria que a acusada queria se apossar de um dinheiro que a cabeleireira havia depositado em uma conta dela. Darliane teria gasto parte da quantia e como não tinha como pagar, teria encomendado a morte da amiga.