• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Integrantes de quadrilha da Bahia presos por roubo de malote com R$ 400 mil em shopping de VV

  • COMPARTILHE
Polícia

Integrantes de quadrilha da Bahia presos por roubo de malote com R$ 400 mil em shopping de VV

Dois suspeitos permanecem foragidos. Diversos materiais foram apreendidos com a quadrilha

A polícia prendeu quatro indivíduos suspeitos de envolvimento no roubo de um malote com R$ 400 mil em um shopping de Vila Velha, em maio deste ano. Outras quatro pessoas também foram presas. Dois continuam foragidos.

As imagens do circuito interno, divulgadas pela polícia, mostram o momento em que o carro ocupado pelos suspeitos entra no shopping. O motorista usa uma luva para retirar o ticket de entrada e um chapéu para esconder o rosto. Dentro do centro comercial, um dos indivíduos, de terno, anda pelo local, seguido logo atrás por um comparsa.

O vídeo também mostra outros suspeitos que, com uniformes, se passam por funcionários de uma empresa de manutenção de elevadores. De repente, eles rendem os seguranças que carregam um malote contendo uma quantia de R$ 400 mil. O dinheiro iria reabastecer os caixas eletrônicos do shopping.

Antes de fugirem, os criminosos roubaram as armas e deram coronhadas nos seguranças. Em seguida, eles fugiram com armas em punho e saíram pelo mesmo estacionamento que entraram.

Da esquerda para a direita acima: Alysson (Pivete), Cássio e Crysley (Grilo). Abaixo: Willians (Nem Bomba), Everton (Tom) e Warlon

Segundo o Departamento Especializado de Investigações Criminais do Espirito Santo, esses criminosos fazem parte de uma quadrilha da Bahia. Quatro suspeitos que teriam participado diretamente desse roubo foram presos: Alisson Silva Souza, 24 anos, vulgo ‘Pivete’; Crisley Menelli Bremenkamp, conhecido como ‘Grilo’, 24 anos; Ewerton Zotelle, o ‘Tom’, 25 anos; e Warlon Ferreira Alexandre, 20 anos.

De acordo com o chefe do Departamento Especializado de Investigações Criminais, Dr. Romualdo Gianordoli, os primeiros passos da investigação foi o encontro do carro utilizado na ação. “Conseguimos primeiro achar o veículo utilizado, que era roubado. Através do veículo, conseguimos saber onde tinha sido fabricado a placa. Aí chegamos a um dos indivíduos, que tinha pedido para fabricar. Este indivíduo tinha feito o serviço a pedido do Alisson. Depois achamos outro carro utilizado pela quadrilha, também roubado pelo Warlon. Com isso, fomos desenrolando toda a história”, disse.

Além deles, outras quatro pessoas que não tiveram participação direta no roubo também foram presas. Com a quadrilha, a polícia apreendeu armas, coletes, rádios comunicadores, mais de 200 munições, objetos utilizados em roubos a banco e até um drone. “Algumas pessoas foram identificadas, que estavam guardando parte dos materiais ilícitos e acabaram sendo presos. Eles não estão envolvidos efetivamente no roubo, mas beneficiavam a quadrilha. No total, oito foram presos. Sem dúvidas, teve informação privilegiada de dentro do shopping”, afirma o delegado.

Diversos materiais foram apreendidos com a quadrilha | Foto: TV Vitória

Segundo a polícia, o mentor do assalto, Willians Alves de Souza Filho, vulgo ‘Nem Bomba’, 36 anos, ainda está foragido, assim como Cássio Moraes dos Santos, 29 anos. “Ele (Willians) veio para o Espírito Santo, foi preso em 2013 em Guriri, fugiu e começou a praticar estes crimes”, contou o delegado.

De acordo com a polícia, a quadrilha é uma das mais perigosas e articuladas do estado da Bahia. Antes dos integrantes virem para o Espírito Santo, teriam se associado ao PCC. “Essa quadrilha foi expulsa da Bahia porque tinha confronto com a outra quadrilha rival e se associou ao PCC, tentando vir criar uma ramificação aqui, mas conseguimos desarticular”, explicou o delegado geral da Polícia Civil, Dr. Guilherme Daré.

Apesar da quadrilha ser da Bahia, Crisley e Warlon são do Espírito Santo. Do valor roubado, nada foi recuperado. O crime aconteceu no dia 15 de maio. Os presos irão responder pelos crimes de roubo e organização criminosa. A polícia do Espírito Santo conta com a ajuda de outros estados para localizarem os criminosos que ainda estão foragidos.