Chefão do tráfico de drogas é preso pela PF em casa luxuosa de Guarapari

Polícia

Chefão do tráfico de drogas é preso pela PF em casa luxuosa de Guarapari

A operação da Polícia Federal aconteceu de forma simultânea em Guarapari, Vitória e Conceição da Barra e em outros dois estados

Foto: Divulgação / Polícia Federal

A Polícia Federal desarticulou uma organização criminosa dedicada ao tráfico interestadual de drogas. O chefe do grupo morava em Guarapari. Segundo a polícia, ele atuava no tráfico no Espírito Santo e agia também em Minas Gerais e Santa Catarina.

A casa onde morava o chefe da organização criminosa é luxuosa, com campo de futebol e piscina. Na manhã desta terça-feira (10) agentes da PF foram ao endereço e prenderam o suspeito.

O delegado federal Vinícius Oliveira Binda, responsável pela operação, afirmou que o homem comprava grandes quantidades de haxixe nas fronteiras do Brasil e distribuía para outros estados.

"Hoje foram cumpridos mandados de prisão e busca em quatro Unidades Federativas para desarticular essa operação que, basicamente, adquiria drogas na região de fronteira, no Paraná, e trazia para ser distribuída, principalmente para os estados de Minas e Espírito Santo. Logramos êxito hoje com, praticamente, todas as prisões solicitadas e apreendemos materiais que vamos analisar para corroborar as provas ja produzidas", explicou.

A ação aconteceu de forma simultânea em Guarapari, Vitória e Conceição da Barra. A operação também foi realizada no Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. Foram 17 pessoas presas, sendo oito no Espírito Santo. A justiça bloqueou as contas bancárias dos investigados.

Segundo a PF, as investigações tiveram início no ano passado e mostraram que o suspeito, preso em Guarapari, exercia uma relação de confiança no tráfico interestadual.

"O que vai ser investigado agora é se essas pessoas participavam do tráfico ou somente servia a conta. Isso ainda é uma próxima etapa. A lavagem de dinheiro vamos partir para esta análise. Para verificar e solicitar o bloqueio", disse o delegado.

QUADRILHA MOVIMENTOU R$ 300 MIL EM DOIS MESES

A movimentação financeira da quadrilha chamou a atenção. Em apenas dois meses, os suspeitos movimentaram cerca de R$ 300 mil. Segundo a polícia, a localização da residência era, justamente, para não chamar a atenção.

As oitos pessoas presas manhã desta terça-feira (10) foram levadas para a sede da Polícia Federal, em São Torquato. Os suspeitos serão encaminhados ao longo do dia para presídios da Grande Vitória.

A identidade do apontado como chefe do tráfico não foi divulgada pela polícia. "A vida dele era bem confortável ou muito pouco sofrida. Não tinha uma atividade rotineira lícita como a maioria das pessoas têm", contou o delegado.

Veja fotos do local onde prisão foi realizada em Guarapari:

*Com informações da repórter Suellen Araújo, da TV Vitória/Record TV