"Parece que a gente está no Afeganistão", diz morador após tiroteios no bairro Nova Palestina

Polícia

"Parece que a gente está no Afeganistão", diz morador após tiroteios no bairro Nova Palestina

Na principal avenida do bairro quase todas as casas têm marcas de tiros nas paredes

Foto: Reprodução TV Vitória

Tiroteios passaram a fazer parte da rotina dos moradores do bairro Nova Palestina, em Vitória. Na principal avenida, quase todas as residências tem marcas de tiros nas paredes. O cenário é resultado da disputada entre traficantes rivais de outros bairros.

Foto: Reprodução TV Vitória

O tiroteio mais recente aconteceu na madrugada desta sexta-feira (27). A parede da casa de um aposentado, de 61 anos, foi atingida. O tamanho do buraco que ficou na parede impressiona. 

Dentro da casa, encostada na mesma parede, fica a cama do aposentado. Ele estava dormindo quando o tiro foi disparado. Por sorte, ele não foi atingido. 

"Estava dormindo. Quando acordei hoje de manhã, me assustei com o buraco na parede", contou. 

O homem disse, ainda, que acordou, por volta das 3h da madrugada, com o barulho dos disparos. Segundo o aposentado, o tiroteio durou cerca de 30 minutos. Assustado, ele não conseguiu voltar a dormir. 

A caixa de correspondência de uma residência e um carro que estava estacionado na rua também foram atingidos. As marcas dos tiros se somam às centenas de outras que existem nas residências do bairro.

"É bomba, granada, fuzil, metralhadora. É tudo. Metralhadora é de montão. Começam a atirar e não param mais. Parece que a gente está no Afeganistão, naquela área de confronto. É uma guerra", relatou um morador. 

A "guerra" vem tirando a paz e a liberdade da comunidade há cerca de dois meses. Aliados aos criminosos do bairro de Andorinhas, o grupo que atua em Nova Palestina vem sofrendo frequentes ataques.  

LEIA MAIS: VÍDEO | Tiroteio é registrado por moradores na Grande São Pedro

De acordo com os moradores da região, os tiros são disparados por criminosos rivais, principalmente, dos bairros Resistência e do Morro da Conquista. A comunidade relatou que os ataques estão ocorrendo, ao menos uma vez por dia, desde o fim da semana passada. 

Quem mais sofre é a população. Moradores afirmam que, recentemente, dez famílias abandonaram suas casas por medo. Um dos moradores contou que faria o mesmo se encontrasse um comprador para a residência dele. 

Outra moradora relatou que deixaria o bairro se tivesse para onde ir. Com medo de ser baleados, ela e os filhos passaram a dormir no chão da residência, com exceção do caçula, que foi morar com o pai em outro local.

Quase todas as crianças do bairro deixaram de frequentar a escola por causa dos tiroteios. Apesar da pouca idade, elas já sofrem as consequências da violência. 

"O meu filho até saiu da escola. Como que vai para a escola? Tá difícil! Não tem como andar pela ruas, abrir comércio", desabafou uma moradora. 

Após o tiroteio dessa madrugada, a Polícia Militar esteve no bairro e fez buscas por suspeitos. Dois homens foram perseguidos até uma casa, mas conseguiram fugir. Na residência, os policiais encontraram drogas, munições e uma arma falsa. O material foi entregue na Delegacia Regional de Vitória.  

A Polícia Civil informou que as munições serão encaminhadas para o setor do Departamento de Criminalística e Balística. Já as drogas serão encaminhadas para o Laboratório de Química Legal para serem analisadas e incinerada.

A Polícia Militar disse que o patrulhamento no bairro Nova Palestina e adjacências segue reforçado com o auxílio da Força Tática e em horários estratégicos com o apoio da Cimesp.

*Com informações da repórter Fernanda Batista, da TV Vitória/Record TV. 

LEIA TAMBÉM:

>> Homem é preso após confessar que matou a namorada no interior do ES

>> Suspeito de tráfico é baleado após confronto com a PM em Cariacica