Tatuadora capixaba denuncia agressão sofrida pelo namorado em hotel nos Estados Unidos

Polícia

Tatuadora capixaba denuncia agressão sofrida pelo namorado em hotel nos Estados Unidos

Isis Muniz mora no Canadá e estava passeando com o agora ex-companheiro em Las Vegas, quando foi violentamente agredida, no último fim de semana

Rodrigo Araújo

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram
Isis Muniz postou fotos e vídeos que mostram as marcas deixadas pelo ex-companheiro

Uma tatuadora capixaba, que mora em Toronto, no Canadá, afirmou em seu instagram ter sido vítima de violência doméstica, cometida pelo então namorado dela. O caso teria ocorrido no último sábado (07), em um hotel em Las Vegas, nos Estados Unidos, onde o casal estava a passeio.

Isis Muniz utilizou sua conta no Instagram para relatar o ocorrido e postar fotos dos ferimentos que teriam sido deixados pelo namorado, que não teve o nome divulgado pela capixaba.

Ela também postou dois vídeos, que mostram marcas de sangue na parede do quarto do hotel onde teria acontecido o crime e na roupa de cama, além de objetos quebrados.

Segundo Isis, o agora ex-namorado foi preso na noite do mesmo dia, mas foi solto menos de 24 horas depois. Além disso, de acordo com a tatuadora, o juiz de Nevada, estado americano onde fica Las Vegas, retirou as acusações contra o suspeito.

"Não fui ouvida no tribunal, não pude me defender e ele foi solto", protestou, em sua postagem no Instagram.

A capixaba disse ainda que a justiça americana lhe concedeu uma medida cautelar, mas que, mesmo assim, o ex-companheiro entrou em contato com ela. Isis relatou que comunicou o fato às autoridades competentes, mas que ninguém a ajudou.

"Hoje passei mais de 12 horas ligando para a delegacia, conselheiros da família de Nevada, tribunal, advogados. E todos disseram que, infelizmente, não poderiam me ajudar", disse na postagem.

Como consequência das agressões, Isis disse que fraturou o nariz e teve ferimentos no rosto e hematomas pelo corpo e na cabeça.

"Preciso fazer uma tomografia computadorizada para confirmar traumatismo craniano e outras lesões na cabeça e pescoço. Meu olho está roxo, preto, inchado e cortado. Tenho cortes em todo o corpo, meus lábios foram cortados e vou precisar de uma cirurgia no nariz e nos lábios. Estou tomando antibióticos, antiinflamatórios e analgésicos", relatou.

A capixaba disse ainda que não acredita que o ex-companheiro será punido pela justiça americana e pede ajuda ao governo canadense, já que tem medo de que ele queira se vingar.

"Ele não pode ser livre e eu quero me sentir segura. Mas um pedaço de papel com uma ordem de restrição não vai me impedir de ser morta", afirmou.

Leia também:
>>
 Maioria dos assassinatos de mulheres são cometidos com arma de fogo, aponta estudo
>> Maria da Penha: os 15 anos da lei que respeita a mulher
>> Nove homens são presos suspeitos de violência contra a mulher na véspera dos 15 anos da Lei Maria da Penha