VÍDEO | Testemunha que presenciou crime fala sobre o momento da morte de Camata

Polícia

VÍDEO | Testemunha que presenciou crime fala sobre o momento da morte de Camata

Carlos Mariano Ayres é uma das testemunhas de acusação e esteve próximo a Gerson Camata no momento do assassinato em 2018

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória

Durante o julgamento de Marcos Venício Moreira Andrade, acusado de matar a tiros o ex-governador do Espírito Santo, Gerson Camata, em 2018, uma das testemunhas de acusação prestou depoimento. Carlos Mariano Ayres presenciou a morte de Camata.

Foto: Marcelo Pereira / Folha Vitória

Em entrevista exclusiva ao Jornal Online Folha Vitória, Ayres contou que estava ao lado de Gerson Camata no momento em que Marcos Venício disparou nele no dia 26 de dezembro de 2018.

A testemunha contou que encontrou Gerson e Marcos em frente a uma banca de revista na Praia do Canto, em Vitória. 

Leia também: VÍDEO | Gerson Camata conversou por quase 30 segundos com ex-assessor antes de ser baleado

Os dois pararam para conversar, mas em um determinado momento a conversa mudou de tom e a testemunha presenciou a morte do ex-governador.

"Os dois pararam e começaram a conversar. Eu não consegui ouvir a conversa inteira por causa do barulho da banca, mas em determinado momento eu ouvi o Marcos falar: 'Eu estou me sentindo roubado'. Nessa hora ele deu um passo para trás, sacou a arma e atirou em direção ao tórax do senador Gerson Camata", contou a testemunha. 

Chocado com a cena que tinha acabado de presenciar, Ayres disse que se surpreendeu com o crime pela localização em que ocorreu, bastante movimentada, e pela época: semana de Natal.

Leia também: 

>> EXCLUSIVO: Imagens inéditas revelam momento em que ex-assessor mata Gerson Camata

>> Assassino culpava Camata por ter perdido emprego, afirma testemunha de defesa

Não esperava a atitude de Marcos Venício

Morador da Praia do Canto, assim como Gerson Camata, a testemunha reforçou que na região sempre se esbarrava com o ex-governador e com o réu confesso, Marcos Venício.

Ele lembrou que o acusado costumava ficar em uma padaria da região e sempre o tratou com respeito, fato que deixou a testemunha ainda mais impressionada.

"Marcos sempre me cumprimentou, Marcos sempre foi cordial comigo. Eu nunca esperaria isso dele", disse Ayres.

Testemunho de Rita Camata

Foto: Marcelo Pereira / Folha Vitória

Também na tarde desta terça-feira (03), a ex-deputada federal e viúva da vítima, Rita Camata, esteve no Fórum Criminal de Vitória e prestou depoimento. 

Rita falou sobre a relação conflituosa de Camata com Venício, e como isso impactou a vida política e pessoal do marido.

Leia também: "Um de nós não volta de lá", disse Camata à esposa um dia antes de ser assassinado