Lavrador é detido e abatedouro clandestino é fechado na Região Serrana do ES

Polícia

Lavrador é detido e abatedouro clandestino é fechado na Região Serrana do ES

A operação foi realizada pelos policiais do Batalhão de Polícia Militar Ambiental e teve o apoio de agentes do Idaf e de agentes da Vigilância Sanitária

Carne encontrada no abatedouro clandestino Foto: Divulgação/Polícia Militar Ambiental

Um homem de 33 anos foi detido e um abatedouro clandestino foi fechado na localidade de Alto Caldeirão, em Santa Teresa, na região Serrana do Estado. 

A operação foi realizada pelos policiais do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) na manhã da última segunda-feira (01) e teve o apoio de agentes do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) e de agentes da Vigilância Sanitária de Santa Teresa. 

Após denúncias anônimas, as equipes chegaram ao local e encontraram o lavrador, de 33 anos, realizando o corte e o embalo de 345 quilos de carne de porco, sem inspeção sanitária. De acordo com o médico veterinário do Idaf, Thiago Almeida Claudio, a carne estava em condições inadequadas de higiene. "O alimento estava exposto a possível contaminação. Foi necessária a completa destruição do material por conta do risco a saúde da população”. 

Segundo o responsável pelo abatedouro, a carne era de outras propriedades. Ele realizava o beneficiamento no local e vendia em feiras livres nos municípios vizinhos.

Policiais e agentes comprovaram que não havia qualquer licença ou autorização para a atividade de beneficiamento e comércio no local. No local, foram apreendidos uma serra fita, um cilindro para o enchimento de linguiça, um picador para o corte seletivo, uma balança, oito facas, um amolador, um machado, 45 ganchos para pendurar as peças e um maçarico. 

O lavrador responsável pelo local e todo o material foram encaminhado para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Santa Teresa. 

Ao final da ocorrência, os 345 quilos de carne suína apreendida foram liberados pelo delegado de Polícia Civil com a escolta da Policia Militar Ambiental, aos cuidados dos agentes da Vigilância Sanitária de Santa Teresa. O material foi incinerado.