• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Novo delegado assume vaga de Fabiano Contarato em Delegacia de Trânsito

Polícia

Novo delegado assume vaga de Fabiano Contarato em Delegacia de Trânsito

Nesta manhã, foi definido que Contarato deve assumir um cargo na Corregedoria da Polícia Civil. O delegado Fabiano Contarato colocou o cargo à disposição na manhã da última terça-feira

 

Foto: Divulgação

O secretário de Segurança Pública do Estado (Sesp), André Garcia, anunciou, na tarde desta sexta-feira (5), o novo substituto do delegado Fabiano Contarato, na Delegacia de Delitos de Trânsito. Segundo o secretário, Maurício Gonçalves da Rocha deve assumir o posto nos próximos dias. A escolha do nome foi uma indicação do chefe da Polícia Civil, Joel Lyrio.

Durante a entrevista, Garcia agradeceu o trabalho realizado por Contarato e afirmou viver uma nova época. “ Por conveniência do administrativo e por achar que é o melhor a ser feito, atendemos o desejo do delegado. Acreditamos que ele deu a sua contribuição nesses 12 anos de experiência frente à delegacia”, afirmou.

Nesta manhã, foi definido que Contarato deve assumir um cargo na Corregedoria da Polícia Civil. O delegado Fabiano Contarato colocou o cargo à disposição na manhã da última terça-feira (02). O titular da Delegacia de Delitos de Trânsito utilizou as redes sociais para comunicar seu pedido de desligamento do cargo e relatar uma série de insatisfações com relação aos órgãos de trânsito.

Em seu comunicado, Contarato afirmou que entre os motivos de sua remoção estão a negação por parte do Detran estadual em fornecer nomes e endereços de motoristas com CNH suspensa ou cassada e o cancelamento de autos de infração de motoristas flagrados no bafômetro pelo Conselho Estadual de Trânsito.

“Eu sou uma pessoa de ação, me oponho às injustiças e aos erros seja de quem for, e continuarei cobrando do Poder Público que cumpra o seu dever em preservar o principal bem jurídico, que é a vida”, informou Contarato no ofício enviado ao secretário de Segurança Pública, André Garcia, e ao chefe da Polícia Civil, Joel Lyrio.

A assessoria de imprensa do Detran foi procurada pela reportagem para responder as críticas feitas pelo delegado, no entanto, o órgão disse que não deve se pronunciar sobre o caso.

Leia abaixo a íntegra do informativo publicado pelo delegado em sua página pessoal:

“Segue abaixo trecho de ofícios que expedi ao Secretário de Segurança Pública e ao Chefe da Polícia Civil solicitando minha REMOÇÃO da Delegacia de Trânsito. Obrigado a todos pelo apoio incondicional durante minha trajetória profissional.

Durante todo o período em que estive à frente da Delegacia de Delitos de Trânsito, sempre observei os princípios da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

Ocorre que os últimos acontecimentos, dentre eles: Direção do Detran em negar o fornecimento de nomes e endereços de motoristas com CNH suspensa ou cassada, CETRAN cancelar Auto de Infração de motorista flagrado em “Lei Seca”, Deputado, Senador, Policiais (em nível nacional) se recusando a fazer o teste do Etilômetro, não me deixam outra alternativa senão colocar meu cargo à disposição e desde já solicito remoção da Delegacia a qual trabalho.

É lamentável, mas o Poder Público banaliza a vida humana em detrimento do poder econômico, financeiro e patrimonial.Eu sou uma pessoa de ação, me oponho às injustiças e aos erros seja de quem for, e continuarei cobrando do Poder Público que cumpra o seu dever em preservar o principal bem jurídico, que é a vida. Não posso ignorar os crimes praticados por qualquer cidadão, mesmo que ele seja ele de alto cargo ou poder aquisitivo. Não posso ficar refém daqueles que usufruem de privilégios e muito menos temer o impacto de uma declaração ou denúncia para preservar a imagem de qualquer pessoa ou instituição, tendo em vista que venho cumprindo a máxima de que “TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI”. Como servidor público, meu trabalho deve ser regido por princípios como a legalidade, a impessoalidade, a moralidade, a publicidade e a eficiência. 

Vale dizer que a liberdade de exercer minha profissão é meu direito como cidadão, cuja restrição somente se justifica quando prevalecem os interesses da coletividade sobre os individuais. Caso contrário, estaria obedecendo à “lei da mordaça”. 

Vale frisar que no exercício de nosso múnus publico não iremos temer abusos, ameaças e qualquer discriminação atentatória a direitos e garantias fundamentais a vida, bem como não iremos nos intimidar, pelo contrário, iremos buscar junto as Autoridades Competentes, no caso Tribunal de Justiça, Procuradoria do Ministério Público e Governo do Estado do Espírito Santo, respostas eficazes no combate a violência, o que assegurará a Sociedade a certeza de um mundo melhor. 

Um mundo melhor e sem violência, no qual os governantes e todos nós almejamos, só irá florir se tivermos um pouco mais de bom-senso e pudor. Se começarmos querermos ser produtivos, úteis, solidários dentro do nosso círculo de trabalho, família e comunidade, agir com comprometimento com a causa maior, sem temor e receio, sempre em total obediência à Lei.

Como Autoridade Pública, poderemos ajudar se não tivermos receio de criticas e não desviarmos o rosto e os olhos e fecharmos a boca, bem como se não aceitarmos fatos ruins como coisa natural. Se cumprirmos com excelência nosso dever de cada dia, ajudaremos a mudar as coisas que podem ser mudadas. O que tornaria possível mudarmos o mundo, mudando por pouco que seja os princípios e valores de cada um de nós, o desejo do bem do outro, e uma convivência menos truculenta

Diante de todo exposto, conforme entendimento verbal mantido com Vossa Excelência solicito minha REMOÇÃO imediata da Delegacia de Delitos de Trânsito, o que faço em caráter IRREVOGÁVEL e IRRETRATÁVEL.”