Polícia

Educadora infantil morre depois de ser torturada em casa

Angélica chegou a ligar para pedir ajuda, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo

Foto: Reprodução/ Record TV

A educadora infantil Angélica de Figueiredo Lima, de 42 anos, foi assassinada dentro da própria casa, na última segunda-feira (23), no bairro Rio de Ouro, em São Gonçalo, Rio de Janeiro. No corpo da mulher havia sinais de tortura. 

O crime aconteceu no momento em que a vítima havia chegado em casa após o trabalho. Ainda não se sabe se o suspeito já estava dentro da residência ou se chegou junto com Angélica, já que não há sinais de arrombamento no local. 

De acordo com as informações da família, a vítima tinha perfurações feitas por tesoura, foi queimada com um ferro de passar e apresentava marcas de enforcamento. além de agressões físicas. A mulher conseguiu pedir socorro para a irmã por telefone, foi encaminhada ao Hospital Estadual Alberto Torres, em Colubandê, também em São Gonçalo, mas não resistiu aos ferimentos. 

Para Jaqueline Reis, prima de Angélica, a vítima não tinha inimigos. “Era a serenidade em pessoa, muito calma, vivia pro trabalho e para a casa. Não era uma menina de sair. O que lembro dela era a paz, carinho e amor. Ela vai deixar uma saudade imensa”, destacou Jaqueline.

Policiais da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) estiveram na casa de Angélica na tarde desta terça-feira (24. As investigações serão realizadas pela DHNSGI.

Com informações do Portal R7!

Pontos moeda