Azar no amor e no crime: suspeito diz que cometeu assalto por paixão em VV e acaba preso

Polícia

Azar no amor e no crime: suspeito diz que cometeu assalto por paixão em VV e acaba preso

O rapaz deixou a prisão em maio, após cumprir pena de 1 ano e 2 meses. Ele disse que tentou trabalhar em supermercado, mas uma desilusão amorosa fez com que voltasse para o mundo do crime

Dener disse que tentou ajudar a mulher que ama Foto: TV Vitória

Um homem foi preso depois de confessar para a polícia que saiu de casa na última segunda-feira (26), para realizar um assalto, na Barra do Jucu, em Vila Velha

Dener Douglas dos Santos, de 27 anos, disse que saiu para roubar. “Saí para roubar, mas eu não peguei nada”. 

O rapaz deixou a prisão em maio, após cumprir pena de 1 ano e 2 meses por porte ilegal de arma. Ele disse que tentou trabalhar em um supermercado, mas uma desilusão amorosa fez com que voltasse para o mundo do crime.

“Eu estava trabalhando como segurança de um supermercado, e estava trabalhando de repositor ao mesmo tempo. Eu estava com a minha ex-mulher, e eu tentava ajudar ela em casa, e não estava mexendo com nada errado, estava indo para a igreja. Aí nos separamos e eu entrei para essa vida errada de novo. Fui na casa dela à noite e conversei com ela. Perguntei se ela tinha comido alguma coisa, porque ela foi fazer a Enem e não tinha nada na casa dela e eu tentei ajudar ela da melhor forma”, afirma.

Dener foi detido no começo da noite da última segunda-feira (26), na Barra do Jucu, em Vila Velha. Ele estava com dois menores, que também foram apreendidos. O trio estava com uma garrucha e um revólver.

De acordo com a polícia, o trio cometeu diversos assaltos na região da Barra do Jucu e bairros vizinhos. A polícia alcançou os suspeitos em matagal. Uma das vítimas foi um mecânico que passava com um amigo sobre a Ponte da Madalena que fica dentro do bairro. “A gente estava pescando. Quando fomos embora, eu fui na frente. Um cara me abordou com um revólver, fomos até o carro e ele pegou o celular que estava no meu bolso. Pegou dinheiro e achou outras coisas que estavam  no carro”, disse o mecânico que preferiu não se identificar. 

Após pegar o celular do mecânico e fazer ameaças, o trio ainda pediu uma carona até a Rodovia do Sol. “Ele perguntou se tinha como a gente dar uma carona até a Rodovia do Sol, aí eu perguntei ‘depois de tudo isso você ainda quer carona?', aí entramos no carro e fomos embora”, disse a vítima. 

Pontos moeda