Divisão de Homicídios pede prisão preventiva de PM que atirou em espanhola

Polícia

Divisão de Homicídios pede prisão preventiva de PM que atirou em espanhola

Ele está preso em flagrante desde a tarde de ontem e a Divisão de Homicídios da capital pediu hoje a conversão da prisão para preventiva

O tenente da Polícia Militar Davi dos Santos Ribeiro foi identificado como o autor do disparo que matou a turista espanhola Maria Esperanza Jimenez, de 67 anos, ontem (24), na Favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro.

Ele está preso em flagrante desde a tarde de ontem e a Divisão de Homicídios da capital pediu hoje a conversão da prisão para preventiva.

Maria Esperanza estava fazendo turismo na Rocinha, contratado com uma empresa, em companhia do irmão e do cunhado, quando, segundo a polícia, o carro furou bloqueio policial e foi alvejado pelo vidro traseiro com dois tiros de fuzil, disparados por policiais. Um deles atingiu a turista no pescoço. Ela chegou a ser levada para o hospital Miguel Couto, mas não resistiu ao ferimento.

De acordo com o titular da delegacia de homicídios, Fábio Cardoso, os três PMs envolvidos no incidente prestaram depoimento durante a madrugada, sendo que o tenente Davi dos Santos Ribeiros preferiu ficar em silêncio. Os outros agentes afirmaram que a equipe fazia blitz na comunidade e que o carro com os turistas teria furado o bloqueio. Já os passageiros do carro afirmaram que não viram nenhuma blitz nem receberam qualquer ordem de parada.

O tenente vai responder pelo crime de homicídio doloso qualificado, porque a vítima não teve condições de se defender. O delegado concedeu coletiva no fim desta manhã.