Pizzaiolo baleado por policiais ainda não tem previsão de alta

Polícia

Pizzaiolo baleado por policiais ainda não tem previsão de alta

Ele foi baleado por policiais quando dormia dentro do estabelecimento para adiantar o serviço de uma entrega que faria nesta semana

Na manhã desta segunda-feira (23), o estabelecimento onde o pizzaiolo foi baleado por policiais abriu e estava funcionando normalmente. A pizzaria fica em Jardim Asteca, Vila Velha. O pai da vítima precisou contratar um funcionário, porque ainda não há previsão de alta para o filho.

Para o auxiliar de serviços gerais, Osvai Custódio de Souza, pai do pizzaiolo, além do prejuízo, ainda resta a sensação de insegurança. "Ele está com os dois pés baleados e vai passar por uma cirurgia que deve custar de R$ 4 mil a R$ 5 mil", calcula.

O fato aconteceu na noite de sábado (21), quando o pizzaiolo dormia na pizzaria que foi inaugurada há 48 dias. Ele tinha uma grande entrega para fazer nesta semana e queria adiantar o trabalho. Uma vizinha teria visto uma luz acesa e pensou que se tratasse de um arrombamento. Ela acionou a polícia e os militares foram até o local.

"Eu olhei e tinha quatro policiais apontando a arma. Quando vi que não tinha arrombamento, eu avisei que o dono, às vezes, dormia no local para fazer o trabalho dele", contou outra vizinha do local.O pizzaiolo dormia perto da porta e acabou baleado no pé.

Em nota, a Polícia Militar informou que todas as circunstâncias da ocorrência vão ser apuradas pela corregedoria. A vítima foi socorrida pelos próprios policiais. O PM que efetuou o disparo foi ouvido na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, foi liberado e teve a arma apreendida.

A nota da PM diz ainda que o policial que efetuou o disparo informou que a vítima teria reagido com uma barra de ferro, informação contestada pelo pai do rapaz. A vítima permanece internado e aguarda cirurgia. Não há previsão de alta.