Golpista tenta enganar donos de bares e restaurantes se passando por agente da Vigilância Sanitária

Polícia

Golpista tenta enganar donos de bares e restaurantes se passando por agente da Vigilância Sanitária

Segundo relatos dos comerciantes, o homem liga, diz que é chefe do setor, alerta sobre supostas fiscalizações e pede dinheiro para as vítimas

Foto: TV Vitória

Tem golpe novo na praça em Vitória! Pelo menos dez proprietários de bares, restaurantes e até de um supermercado da capital relataram estar recebendo ligações e mensagens de um suposto fiscal da prefeitura, pedindo dinheiro para evitar que os estabelecimentos sejam alvo de fiscalização.

A dona de um bar em Vitória, que preferiu não se identificar, contou que foi uma das vítimas que receberam a ligação do homem se passando por chefe da Vigilância Sanitária da capital. Ela conta que teve certeza de que se tratava de um golpe quando ele pediu dinheiro para tirar o estabelecimento dela da rota de fiscalização da prefeitura por um ano.

"'Eu vou te enviar um documento que a senhora vai ficar livre de problema durante um ano, tanto com a Vigilância Sanitária quanto com os bombeiros'. Quando ele falou bombeiros, eu falei: 'mas eu já estou em processo de renovação de alvará. Já está quase tudo encaminhado'. Ele pediu R$ 500 e eu pensei comigo: 'é golpe'", relatou.

Em um outro caso, ocorrido há três dias, o comerciante procurado pelo suposto golpista gravou a ligação. Na conversa, o suspeito afirmou que era responsável pela fiscalização em todo o Espírito Santo.

Suspeito: — Daqui a pouco, a partir das 15 horas, vamos dar início, dentro do setor, a uma grande blitz, a uma grande operação 'fiscalizativa'. Eu não ia nem ligar. A gente já ia direto, mas aí eu recebi aqui uma informação que a imprensa vai acompanhar o nosso trabalho

Comerciante: inaudível

Suspeito: — Há alguma coisa que eu possa te ajudar, filho?

Comerciante: — Não, não. Tem nada que você possa me ajudar não. Se eles vão vir fiscalizar, a gente tem que receber a fiscalização, não é isso?

Suspeito: — Boa sorte aí pra vocês!

A gerente da Vigilância Sanitária de Vitória, Flavia Riegert, alerta aos comerciantes que o órgão não entra em contato com ninguém antes de uma blitz. "Normalmente não ocorre um agendamento de fiscalização. As autoridades sanitárias se dirigem até o estabelecimento e fazem a abordagem no local. Isso tudo registrado em documento oficial", explicou.

Diante da situação, o Sindicato dos Restaurantes, Bares e Similares do Espírito Santo (Sindbares) também decidiu fazer um alerta aos comerciantes, para ficarem atentos e não caírem no golpe da falsa fiscalização.

"Nas últimas semanas, estamos tendo relatos de várias tentativas de golpe do suposto gerente ou chefe da Vigilância Sanitária. A gente está pedindo para que as pessoas entrem em contato com as autoridades e conosco, para que a gente possa tomar as medidas legais cabíveis", ressaltou o presidente do Sindbares, Rodrigo Vervloet.

Já a Prefeitura de Vitória orienta os comerciantes a procurarem a Vigilância Sanitária. "Para nós, é claramente um golpe e que precisa ser registrado na polícia. Por orientação policial, eu estou reunindo todos os relatos para abrir um único boletim de ocorrência, com todas as ocorrências recebidas até o momento", informou Flavia Riegert.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV