PF prende suspeito de integrar esquema de tráfico de drogas e de lavagem de dinheiro no ES

Polícia

PF prende suspeito de integrar esquema de tráfico de drogas e de lavagem de dinheiro no ES

Homem foi preso pelos agentes em seu apartamento em Cariacica e, segundo a Polícia Federal, a organização criminosa usava insumos químicos adquiridos por meio de empresas regularmente cadastradas para o refino de drogas

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória
Foto: Polícia Federal/Reprodução

A Polícia Federal prendeu um homem suspeito de integrar um esquema bilionário de tráfico de drogas e de armas de grosso calibre e lavagem de dinheiro no Espírito Santo. 

A operação intitulada de "Balada" foi conduzida pela Delegacia de Polícia Federal de Uberlândia (MG). A PF não divulgou o nome do detido e nem em qual cidade foi efetuada a prisão. Mas a TV Vitória apurou que a prisão foi feita em Cariacica.

No Estado, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e um de busca e apreensão. No apartamento, foram apreendidos telefones celulares, documentos, carros e uma arma de fogo (pistola).

O homem preso é acusado de ser um grande fornecedor de drogas para o leste mineiro e para o Espírito Santo. Contando com o apoio de outros criminosos em solo capixaba, ele trazia grandes carregamentos de entorpecentes para serem aqui comercializados. 

Os detidos poderão responder por organização criminosa, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. As penas somadas podem chegar a 49 anos de prisão.

O objetivo da ação de hoje, além do cumprimento da ordem judicial, é obter novos elementos de provas para desmantelar o esquema criminoso dedicado ao tráfico de drogas que atua em todo o Brasil.

Segundo a PF, a organização criminosa usava insumos químicos adquiridos por meio de empresas regularmente cadastradas para o refino de drogas. Em sete meses foram comprados insumos suficientes para manipular mais de 11 toneladas de cocaína.

As drogas eram enviadas de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia para armazenamento na região do Triângulo Mineiro. E depois distribuídas para outras regiões do país. Principalmente Minas Gerais, Espirito Santo, Rio de Janeiro e Goiás.

O superintendente da Polícia Federal no Espírito Santo, Eugênio Ricas,  afirma que, além de grandes carregamentos de entorpecentes, armas pesadas podem ter chegado ao Estado por intermédio dessa organização criminosa. Até mesmo granadas. 

"O capixaba tem sofrido muito com os intensos tiroteios, apreensão de armas de grosso calibre, apreensão de metralhadoras, até de granadas. Essas armas são utilizadas nessas guerras entre traficantes em disputa pelos territórios. Isso é um trabalho comum. As mesmas organizações que traficam drogas também comercializam armas", explicou.

Para intensificar o combate ao crime organizado, Ricas propõe a criação de uma Força Tarefa de Segurança Pública. Atualmente, ela já conta com a adesão da Polícia Rodoviária Federal e das Guardas Municipais de Vitória e Vila Velha.

Saiba mais sobre a Operação Balada

Conduzida pela Delegacia de Polícia Federal de Uberlândia (MG), cerca de 850 policiais federais cumprem 247 mandados de prisão e 249 mandados de busca e apreensão, além de centenas de outras medidas cautelares, nos estados de Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Alagoas Tocantins e Espírito Santo.

Investigados ostentavam nas redes sociais

O nome da operação, "Balada", faz referência ao fato de os investigados ostentarem em redes sociais a organização de diversas festas de luxo, inclusive em outros países, realizando gastos elevados em tais eventos, com uso de iates e carros esportivos, indica a Polícia Federal.