Preso suspeito de matar policial militar durante tentativa de assalto na Serra

Polícia

Preso suspeito de matar policial militar durante tentativa de assalto na Serra

Os policiais do Grupo de Apoio Operacional (GAO) realizaram a operação em Carapina Grande após receberem informações de que um dos suspeitos estava no bairro

Acusado tentou fugir Foto: TV Vitória

Está preso o acusado de matar o policial militar Daniel Santos Viana, 20 anos, durante uma tentativa de assalto na noite da última segunda-feira (24). Deiverson Charles Nascimento dos Santos, 22 anos, foi detido em um terreno, em Carapina Grande, na Serra, por volta das 22 horas, de terça-feira (25).

Segundo a polícia, o acusado confessou ter atirado no PM. Além disso, um taxista que testemunhou o crime reconheceu o suspeito. 

Os policiais do Grupo de Apoio Operacional (GAO) realizaram a operação em Carapina Grande após receberem informações de que um dos suspeitos estava no bairro.

Deyverson estava na casa de um vizinhou e tentou fugir quando percebeu a presença da polícia. O homem teria pulado vários muros. No entanto, acabou preso no terreno de uma empresa. 

Após ser capturado, o suspeito disse que não agiu sozinho. De acordo com a Polícia Militar, Deyverson contou que Maycon Vieira dos Santos, de 20 anos, teve participação no crime.

O suposto comparsa de Deyverson foi detido na noite do crime, mas por falta de provas, foi liberado pelo delegado de plantão da Delegacia Regional da Serra. 

Mãe também é presa
A mãe do acusado também foi conduzida à delegacia. De acordo com a polícia, a mãe de Deyverson teria escondido a arma usada no crime- um revólver calibre 38- em meio a entulhos. A mulher também foi levada para a delegacia. Ela tem passagens pela Justiça. por posse e uso de drogas e por roubo. 

Secretário comenta crime
Em entrevista coletiva, o secretário estadual de Segurança Pública, André Garcia, comentou sobre a morte do policial Daniel Santos Viana, de 20 anos.

“Eu acredito primeiramente que temos um esforço geral para coibir qualquer tipo de crime. A vítima policial chama mais a atenção porque é um trabalho que envolve risco. Nós fomos ao Congresso Nacional, os secretários de segurança do Sudeste, e apresentamos propostas de alteração do código penal, inclusive, para agravar penas de crimes cometidos contra agentes do Estado e crimes com envolvimento de menores. Todas as propostas que os secretários elaboraram tem esse propósito para que a legislação seja nossa parceira. Nós temos um marco legal fraco. Não adianta a polícia ser forte se a legislação é fraca”, disse.

 O assalto

Daniel Santos Viana era filho de um sargento da Polícia Militar. O soldado saía do 6° Batalhão da Polícia Militar, no bairro Carapina, na Serra, quando foi rendido por criminosos. A farda, a arma e os pertences do jovem estavam dentro de uma mochila.

Segundo a polícia, ao ser abordado pelo criminoso, Daniel reagiu e se apresentou como policial. A vítima foi atingida por único disparo, mas de acordo com o pai, Daniel teria perdido muito sangue.

Um taxista que trabalha próximo ao local onde o crime aconteceu, contou à polícia que ouviu quatro disparos e, em seguida, viu um homem correndo em direção ao bairro Carapina Grande, mesmo município.