‘Tá’ bom pra você? R$ 3 milhões em moedas estrangeiras são apreendidos em Coqueiral de Itaparica

Polícia

‘Tá’ bom pra você? R$ 3 milhões em moedas estrangeiras são apreendidos em Coqueiral de Itaparica

Os policiais da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes chegaram até o veículo a partir de denúncia anônima recebida na semana passada

O dinheiro foi apreendido na última quinta-feira (26) Foto: TV Vitória

Três milhões de reais em moedas estrangeiras foram apreendidos na noite da última quinta-feira (26), em Coqueiral de Itaparica, no município de Vila Velha. Denúncias davam conta de dinheiro proveniente do tráfico, mas as investigações tomaram outro rumo

O montante foi encontrado dentro de duas malas no bagageiro de um carro. Os policiais da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes chegaram até o veículo a partir de denúncia anônima recebida na semana passada. 

A abordagem foi feita próximo a uma agência bancária. No carro havia dois homens, que contaram em depoimento, que iriam entregar a quantia para um empresário que pagaria uma taxa de câmbio bem acima da cobrada no mercado. Ainda segundo os dois, toda essa transação seria a mando de um rapaz que é o alvo das investigações da Polícia Civil.

Segundo a polícia, ele já responde por diversos crimes, todos com ligação ao uso de documentos falsos."Desde 2009 responde a inquéritos policiais e ações penais por diversos crimes como estelionato, falsidade ideológica, falsidade documental, uso de documento falso, de maneira que esse dinheiro pode estar relacionado a esse tipo de atuação", disse o delegado responsável pelo caso, Fábio Pedroto. 

Os ocupantes do carro foram liberados após prestarem depoimento. O dinheiro ficou apreendido por conta de uma portaria do Banco Central que proíbe a circulação em território nacional de grandes quantias sem a devida declaração. A linha de investigação inicial dava conta de que a lavagem de dinheiro era feita com a movimentação financeira proveniente do tráfico de drogas. Mas uma informação mudou o rumo da história: "Recebemos duas vítimas desses estelionatário que nos relataram fatos importantes que vai nos ajudar a elucidar a prática desse crime. Inclusive vamos apurar a participação de pessoas que trabalham com cartões de registros de imóveis, e vamos abranger as investigações para confirmar se o dinheiro era proveniente de lavagem do crime de tráfico ou relacionado a fraudes cartorárias", disse o delegado. 

Depois da abordagem, os policiais foram até a casa do principal suspeito de chefiar o esquema, mas nada foi encontrado. Segundo a polícia o suspeito agia em todo o município de Vila Velha. Ele revendia lotes se passando pelo proprietário. Uma das vítimas foi um empresário de 20 anos, que preferiu não ser identificado. Em 2011, o suspeito entrou em contato com ele exigindo R$ 100 mil para evitar a venda de 148 lotes do empresário. "Ele agia insistentemente. Me pressionava e como eu não caí na conversa dele, ele acabou vendendo meus terrenos", explicou o rapaz.

O empresário chegou a pagar R$ 55 mil, sendo R$ 20 mil em dinheiro e mais dois carros, sendo um deles o veículo apreendido com o dinheiro estrangeiro, em Vila Velha. O empresário contou ainda, que conseguiu transferir os lotes de volta para o nome dele no ano passado. "Só consegui reaver meus imóveis mediante a ações judicais de embargos e anulatória. Tive muitos gastos para isso acontecer, fora o que a gente passa emocionalmente".