Presos suspeitos de aliciar em escolas crianças e adolescentes para prostituição em Cariacica

Polícia

Presos suspeitos de aliciar em escolas crianças e adolescentes para prostituição em Cariacica

Segundo a polícia, os suspeitos, que agiam próximo a escolas do município, confessaram os crimes. Um empresário, que segue foragido, seria um dos principais clientes do trio

Suspeitos foram presos por policiais da DPCA Foto: TV Vitória

Três pessoas foram presas, nesta sexta-feira (11), suspeitas de integrarem uma organização criminosa que aliciava crianças e adolescentes em escolas de Cariacica, para se prostituírem. De acordo com a polícia, um empresário de Vila Velha, que segue foragido, contratava os serviços do trio.

Ketlen Djulie Soares Barcelos, de 19 anos, Keisla Oliveira Pinto Lindolfo, também de 19, e Cayo Kinach Nunes, de 23, foram detidos por policiais civis da Delegacia da Criança e do Adolescente (DPCA). Segundo o titular da DPCA, delegado Lorenzo Pazolini, eles confessaram os crimes, em depoimento.

"Recebemos uma denúncia anônima, relatando que havia aliciadores que iam a escolas municipais de Cariacica e procuravam crianças e adolescentes entre 12 e 15 anos de idade. E essas crianças eram aliciadas para práticas sexuais. Essas pessoas ofereciam vantagens financeiras a essas crianças, para que elas praticassem sexo com adultos", frisou o delegado.

Segundo Pazolini, uma das jovens detidas teria atraído os demais suspeitos para o negócio, em busca de dinheiro. "Uma das indiciadas e presas na data de hoje tinha muito conhecimento sobre crianças e adolescentes, no local onde ela residia. Então, a partir daí, ela vislumbrou uma oportunidade de ganhar 'dinheiro fácil', palavras da própria acusada. Ela disse que, se levasse crianças e adolescentes até empresários ou pessoas que tinham poder financeiro elevado, ela ganharia o dinheiro. E a partir daí, ela se associou a mais duas pessoas e passou a aliciar, no município de Cariacica, crianças e adolescentes para práticas sexuais", disse o delegado.

"Cada um ganhava R$ 250, em média, por ocasião, sendo que a aliciadora ficava com R$ 250, cada uma delas, e a criança ou adolescente recebia a mesma quantia", completou.

Ketlen, Keysla e Cayo foram levados para o Centro de Triagem de Viana. "Eles vão responder pelo crime de estupro de vulnerável, associação criminosa, pelo favorecimento à prostituição infantil e também pelo fato de fornecerem bebidas alcoólicas a menores de idade", explicou Pazolini.

Ketlen, Keysla e Cayo foram levados para o Centro de Triagem de Viana Foto: TV Vitória

Orgias

Durante as investigações, os policiais descobriram que um empresário era um dos principais clientes dos suspeitos. Segundo a polícia, ele é dono de um apartamento na Praia da Costa, em Vila Velha, e utilizava o local apenas para o encontro com crianças e adolescentes.

"Segundo relatos que temos no inquérito policial, nesse local eram realizadas festas com a presença de menores de idade e eram praticadas orgias sexais, inclusive com ingestão de bebidas alcoólicas", afirmou o delegado.

De acordo com Lorenzo Pazolini, o empresário foragido é casado e possui filhos. A família dele já foi informada sobre o caso, mas alega não saber o paradeiro dele.