Sindicato quer processar loja onde trabalhava fiscal assassinado em ônibus

Polícia

Sindicato quer processar loja onde trabalhava fiscal assassinado em ônibus

Segundo o Sindicomerciários, o estabelecimento não deveria ter funcionado na última quarta-feira, por ter sido feriado. Funcionário foi morto quando voltava para casa

Rapaz foi morto dentro de um ônibus, quando voltava para casa, após ter trabalhado no feriado de Finados Foto: TV Vitória

O Sindicato dos Comerciários do Espírito Santo (Sindicomerciários-ES) pretende protocolar, ainda nesta semana, uma ação judicial contra a loja de departamentos onde trabalhava o fiscal de loja Cleverton Oliveira Cabral, de 29 anos, que morreu após um policial à paisana reagir a uma tentativa de assalto a um coletivo do sistema Transcol, na última quarta-feira (02), em Vitória

De acordo com o presidente do Sindicomerciários, Jackson Andrade, o estabelecimento não deveria ter funcionado no dia, já que era feriado de Finados. Como a convenção coletiva entre comerciantes e comerciários ainda não foi assinada, segue valendo as regras estabelecidas pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), que proíbem o funcionamento do comércio nos feriados.

"Provavelmente se ele não tivesse trabalhado naquele dia, estaria vivo e com a família. Por isso vamos protocolar uma ação para pedir uma indenização coletiva para todos os funcionários que trabalharam na loja no dia. Além disso, estamos orientando a família do rapaz para se informar, junto à empresa, com relação ao seguro de vida do funcionário", afirmou Andrade.

O presidente do Sindicomerciários disse ainda que moverá ação contra os demais estabelecimentos que não procurarem o sindicato para estabelecer um acordo sobre o funcionamento das lojas nos feriados.

Por meio de nota, a C&A afirmou que, para atender aos seus clientes de Vitória, optou pela abertura de sua loja localizada no Shopping Vitória no dia 2 de novembro, com base na permissão estabelecida na última convenção vigente e que foi uma opção adotada pelas demais grandes redes de varejo. 

A empresa ressaltou ainda que não é possível estabelecer qualquer relação direta da fatalidade com a abertura da unidade. A C&A lamenta profundamente o fato e informa que está prestando todo o apoio e suporte à família e aos amigos do associado.