Polícia

Homem que entrou em cinema com submetralhadora e matou três pessoas em SP pode ser solto

O crime que chocou o país foi cometido durante a exibição do filme norte-americano "Clube da Luta", protagonizado pelos astros Brad Pitt e Edward Norton

Foto: Caio Guatelli - 1999

Há 20 anos um jovem estudante de Ciências Médicas, na época com 24 anos, entrava dentro de uma sala de cinema em São Paulo, durante a exibição do filme 'Clube da Luta' com uma submetralhadora e abria fogo contra os espectadores. Na ocasião, três pessoas morreram, quatro ficaram feridas e dezenas ficaram em pânico com o ataque.

O caso ocorreu no dia 3 de novembro de 1999. O acusado, Mateus da Costa Meira, hoje com 44 anos, foi condenado a 48 anos e nove meses de reclusão, mas pode ser solto. Atualmente no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico de Salvador (HTC), Meira foi submetido a um exame de verificação de cessação de periculosidade com a finalidade de se estabelecer a viabilidade de o presidiário ser solto.

Segundo o portal R7, o resultado da análise indicou que o acusado "encontra-se compensado, funcional, sem qualquer alteração de comportamento que indique periculosidade". Ou seja, apto à desinternação. O Ministério Público da Bahia, no entanto, solicitou um novo exame. A Promotoria, contudo, disse que não irá se manifestar.

Terror no cinema

O crime que chocou o país foi cometido durante a exibição do filme norte-americano "Clube da Luta", protagonizado pelos astros Brad Pitt e Edward Norton, que contava a história de um vendedor de seguros perturbado psicologicamente que passa a frequentar um violento clube de combate.

Outro lado

A reportagem do R7 procurou o advogado que representa Mateus da Costa Meira atualmente. No entanto, o defensor não respondeu ao pedido de entrevista para esclarecer detalhes sobre a execução do novo exame e a possibilidade de soltura do preso até a publicação desta matéria.

Com informações do portal R7

Pontos moeda