Servidores da prefeitura de Cariacica são presos acusados de corrupção

Polícia

Servidores da prefeitura de Cariacica são presos acusados de corrupção

Suspeitos cobravam consultoria para facilitar concessão de documento e prejudicavam processo de comerciantes que se recusavam a pagar serviço ilegal

Alecsandro Aguiar foi o primeiro suspeito detido Foto: Divulgação/PC

Na manhã desta segunda-feira (1), a polícia realizou uma operação para cumprir cinco mandados de busca e apreensão e deteve duas pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema ilegal de emissão de alvarás pela Vigilância Sanitária da Prefeitura de Cariacica. No início da noite, mais um servidor contratado também foi preso.

O esquema, que segundo a polícia era comandado pela ex-chefe de fiscalização da Vigilância Sanitária, Carla Lube - exonerada há um mês -, e pelo fiscal sanitário Alecsandro Aguiar, funcionava assim: o comerciante interessado em abrir uma loja no município deveria pagar uma “consultoria” aos acusados. Caso se recusasse a pagar, o lojista era prejudicado na hora de conseguir seu alvará

A investigação teve início depois que comerciantes e a Prefeitura fizeram denúncias sobre o esquema à Superintendência de Polícia Especializada (SPE); posteriormente, foi realizada uma auditoria no órgão, por meio da qual foi constatada a irregularidade.

Em nota, a Prefeitura do município informou que entregou à polícia um relatório  com diversas irregularidades e que acabou gerando as investigações e se colocou à disposição para auxiliar a SPE e a Delegacia de Crimes Contra a Administração Pública (Decap).

A polícia estima que mais de 200 alvarás foram concedidos durante o funcionamento do esquema. Segundo o delegado José Monteiro, um dos responsáveis pelo inquérito, "eram cobrados em torno de R$ 7 mil reais por consultoria".

O material e os detidos foram encaminhados à Decap. A polícia não descarta a possibilidade de descobrir outros envolvidos por meio dos documentos apreendidos e poderá realizar mais prisões. 

Os acusados responderão por crime contra a administração pública, podendo ser acusados também de corrupção, fraude, prevaricação e formação de quadrilha.