Ataque a revista satírica de Paris deixa pelo menos 12 pessoas mortas

Polícia

Ataque a revista satírica de Paris deixa pelo menos 12 pessoas mortas

Em 2011 houve um incêndio no escritório da revista horas antes de uma edição especial da publicação semanal com o profeta Maomé ir às bancas do país

Redação Folha Vitória
Os criminosos conseguiram fugir do local Foto: Twitter WilliamMolinie

São Paulo - Pelo menos 12 pessoas foram mortas depois de homens armados terem atacado o escritório da revista satírica Charlie Hebdo nesta quarta-feira (7), em Paris, informou um policial. De acordo com a prefeitura, outras cinco pessoas estão feridas.

Os homens abriram fogo contra o estúdio da publicação com rifles automáticos AK-47 antes de fugirem do local, revelou a fonte.

A Presidência francesa informou que o presidente, François Hollande, se dirigiu para o local e convocou uma reunião do gabinete de crise para 15h (horário local). Já no local do atentado, Hollande concedeu uma entrevista coletiva.

Segundo Luc Poignard, funcionário do sindicato dos policiais de Paris, os homens que realizaram o ataque deixaram o local em dois veículos.

Incêndio

Em novembro de 2011 houve um incêndio no escritório da revista horas antes de uma edição especial da publicação semanal ir às bancas. Esse incidente ocorreu depois de o jornal publicar um número especial sobre as primeiras eleições na Tunísia após a destituição do presidente Zine el Abidine Ben Ali, vencidas pelo partido islâmico Ennahda, no qual o profeta Maomé era o “redator principal”. A representação de Maomé é inaceitável para os muçulmanos.

Com informações da Agência Estado e Agência Brasil