• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Sargento da PM é preso em Vila Velha por se recusar a devolver colete à corporação

Polícia

Sargento da PM é preso em Vila Velha por se recusar a devolver colete à corporação

Policial alega que precisava do equipamento para se deslocar até sua casa, já que usa farda para ir e voltar do trabalho. Ele foi levado para o Quartel da PM, em Maruípe

Policial foi levado para o quartel do Comando Geral da PM Foto: Divulgação/Governo

Um sargento da Polícia Militar foi preso, na noite desta quinta-feira (09), por ter se recusado a entregar à corporação o colete balístico que havia usado durante o expediente. Ele alega que precisava do equipamento para se deslocar até sua casa, já que usa farda para ir e voltar do trabalho.

O sargento estava de serviço pela manhã, quando foi notificado que deveria devolver o colete balístico. Ele recebeu um despacho escrito a mão com a ordem, assinado pelo major, por volta das 10 horas.

Durante 12 horas, o sargento ficou no 4º Batalhão da Polícia Militar, em Vila Velha. Somente às 22 horas de quinta-feira, foi dada a voz de prisão ao militar por desobediência.

O sargento foi levado, por uma viatura descaracterizada, para a Corregedoria da Polícia Militar, para que fossem feitos os trâmites legais. Em seguida, ele foi conduzido ao quartel do Comando Geral da PM, em Maruípe. 

O advogado da Associação de Cabos e Soldados do Espírito Santo, Valdenir Ferreira, informou como será feita a defesa do militar. 

Sargento passou 12 horas no 4º Batalhão da PM e foi preso por volta das 22 horas de quinta-feira Foto: Divulgação

"Nós vamos empreender todos os esforços para colocá-lo em liberdade. Essa é nossa intenção primeira. Num segundo momento, nós vamos discutir a ilegalidade do ato. Ele não desobedeceu porque ele não é obrigado a cumprir ordem ilegal. No deslocamento para casa, nós consideramos que ele tem sim o direito de se locomover com o colete balístico, porque é um equipamento de proteção individual imprescindível para a condição de policial militar", ressaltou.

O advogado também alegou o risco que os policiais correm, com pouca quantidade de coletes e material precário. "Me parece que a Polícia Militar tem coletes vencidos desde março. Então tem pouco colete para o tamanho da corporação e eles estão usando desse artifício, pedindo para que alguns militares devolvam e façam esse deslocamento sem o colete. Isso porque a Polícia Militar não tem colete para todos os militares", afirmou Ferreira.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) informou que nenhum militar do serviço operacional está trabalhando sem o colete balístico. Segundo a Sesp, 2 mil coletes foram comprados e substituirão os equipamentos que vão vencer até o final do ano.

Questionada se o policial militar continua preso, a Sesp não respondeu à demanda.