Negros são maioria dos mortos em onda de violência no ES, diz Sindicato dos Policiais Civis

Polícia

Negros são maioria dos mortos em onda de violência no ES, diz Sindicato dos Policiais Civis

O sindicato afirma que levantamento foi feito com base nos registros da Divisão de Homicídios, do Departamento Médico Legal de Vitória e do Centro Integrado de Defesa Social.

Vitória (ES) - Clima de tensão durante protesto de moradores em frente ao Comando Geral da Polícia Militar do Espírito Santo em Maruípe Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Negros, moradores de periferia, do sexo masculino, e maiores de idade. Esse é o perfil das pessoas assassinadas no Espírito Santo desde o início da paralisação da Polícia Militar até o dia 14 de fevereiro, afirmou, na quarta-feira (15), em nota publicada em seu site, o Sindicato dos Policiais Civis do Estado. O Espírito Santo registrou, segundo a entidade, 149 mortes no período.

O sindicato afirma que levantamento foi feito com base nos registros da Divisão de Homicídios, do Departamento Médico Legal de Vitória e do Centro Integrado de Defesa Social.

Apesar de indicar o perfil geral das vítimas, entidade não detalhou os números exatos de vítimas conforme a cor da pele e a região onde moram.

Ao todo, 138 vítimas são homens maiores de idade. Dezessete vítimas eram adolescentes, sendo que onze delas foram mortas na Grande Vitória e seis no interior. O total de mulheres assassinadas no Estado chegou a onze, sendo nove na região metropolitana e duas no interior.

A região metropolitana de Vitória foi a área do Estado que mais sofreu com a onda de violência. Ao todo 85 pessoas morreram na região. O município mais violento foi Serra, com 35 mortes. No interior, foi o município de São Mateus que mais registrou assassinatos: 9 no total.

Pelas regiões onde os crimes aconteceram, pelas idades das vítimas e o modo como ocorreram as mortes, o Sindicato dos Policiais Civis avalia que grande parte das mortes foi causada por disputas de pontos de tráfico. A motivação de cada crime, no entanto, só poderão ser confirmadas após as investigações.