• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Saiba quais são os modelos de veículos mais roubados na Grande Vitória

Polícia

Saiba quais são os modelos de veículos mais roubados na Grande Vitória

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo, foram registrados mais de mil furtos e roubos de veículos na região metropolitana no mês passado

Número de furtos e roubos de carros aumentou significativamente entre janeiro e abril deste ano Foto: TV Vitória

Carros dos modelos Fiat Uno, Volkswagen Gol e Toyota Corolla são os mais visados pelos bandidos na Grande Vitória. Já as motos mais roubadas ou furtadas na região metropolitana são as dos modelos Honda CG Titan 125 e 150. A constatação é do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol-ES). 

Ainda segundo o Sindipol, de janeiro até a primeira quinzena de maio, 3.740 carros foram alvo de bandidos. No primeiro mês do ano foram registradas 640 ocorrências (342 furtos e 298 roubos); em fevereiro, 920 (270 furtos e 650 roubos); março teve 785 casos (313 furtos e 472 roubos); já em abril, o total de ocorrências registradas, somando os furtos e roubos, subiu para 1.015 (a divisão de cada tipo de crime ainda não foi passada). 

"Como no homicídio, a Serra é o município onde existe o maior número de ocorrências desse ato criminoso. Eu acredito que por ser o município mais populoso da Grande Vitória, por ter uma grande circulação de veículos, isso possa favorecer esse aumento da criminalidade nesses locais", destacou o diretor do Sindipol, Aloísio Fajardo.

O elevado número de crimes mudou até a dinâmica do registro de ocorrências. Antes quem tinha seu carro furtado ou roubado poderia fazer o boletim de ocorrência somente na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV). Hoje, por conta da demanda, o registro pode ser feito em qualquer delegacia.

"As vítimas desses veículos de furto e roubo podem registrar suas ocorrências até online. Isso porque houve um aumento significativo no número de ocorrências e a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, que está numa sobrecarga de trabalho enorme, não tem condições de atender essa demanda", ressaltou Fajardo.

A situação também influencia diretamente o mercado de seguros. De acordo com o corretor César Ribeiro, na hora de contratar o serviço os donos dos carros mais visados estão precisando desembolsar um valor a mais.

"Nós temos um aumento substancial no preço do seguro, principalmente nos últimos anos, em razão da quantidade de roubos que estamos tendo, principalmente na Grande Vitória. A greve da polícia foi um divisor de águas. É lógico que essa é uma sensação que eu tenho e a população também tem, mas parece que a polícia não voltou da greve ainda", afirmou.

Já o diretor do Sindipol defende um endurecimento da legislação para inibir os bandidos. "A impunidade faz com que os criminosos continuem agindo e cada dia mais aumenta o número de veículos furtados e roubados na Grande Vitória", salientou.