Catorze homens são presos acusados de matar e aterrorizar moradores na Serra

Polícia

Catorze homens são presos acusados de matar e aterrorizar moradores na Serra

Denilson da Cruz Santos e João Augusto Rodrigues Oliveira estão entre os 14 presos durante uma megaoperação das polícias Civil e Militar, na manhã desta quinta-feira

Denilson e João Augusto foram presos durante a operação policial realizada nesta quinta-feira Foto: TV Vitória

Uma megaoperação policial dentro de um condomínio residencial no bairro Ourimar, na Serra, na manhã desta quinta-feira (06), terminou com a prisão de 14 pessoas. Entre os detidos, dois se destacam pela periculosidade. 

Segundo a polícia, Denilson da Cruz Santos, o "Neguinho da 12", e João Augusto Rodrigues Oliveira têm envolvimento em pelo menos quatro assassinatos, cometidos entre maio e junho deste ano, no conjunto habitacional Ourimar, conhecido por ser dominado por traficantes.

Ainda de acordo a polícia, João Augusto e Denilson fazem parte da mesma facção criminosa que era comandada por Marcos Antônio da Silva Xavier, o "Mata Rindo". Preso em maio, ele foi solto rapidamente, mas acabou sendo assassinado dias depois. Segundo a policia, os autores do homicídio foram Denilson, João Augusto e outros membros da facção, numa tentativa de tomar o comando do tráfico.

O último assassinato atribuído à quadrilha foi o que vitimou Eduardo Barreto Pires, encontrado morto dentro do porta malas de um carro, na semana passada. As investigações apontam que Eduardo entrou no condomínio dirigindo um carro roubado, desrespeitando a imposição dos traficantes.

Domínio do tráfico

Entregues no ano passado para moradores da Serra cadastrados nos programas assistenciais da prefeitura, os 608 apartamentos populares do conjunto habitacional Ourimar habitam cerca de 2 mil pessoas. No entanto, segundo a polícia, nem todas as unidades estão ocupadas, pois o conjunto foi dominado pelo tráfico de drogas. No condomínio, bandidos tomaram apartamentos, expulsaram moradores e funcionários e estabeleceram as próprias leis.

"Era um poder paralelo. A primeira lei e a principal era a lei do silêncio. Quem descumprisse, quem fizesse denúncias explícitas ou quem testemunhasse contra tais indivíduos era morto. Eles passavam livremente com armas de fogo, inclusive de grande porte, segundo informações dos moradores, por todo conjunto residencial Ourimar. A outra lei é que não havia propriedade privada para tais indivíduos. Eles poderiam adentrar quaisquer dos apartamentos e poderiam esconder objetos ilícitos em quaisquer dos apartamentos. Uma outra lei era que não podiam entrar carros roubados, a não ser que houvesse anuência dos chefes do tráfico de la", destacou o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) da Serra, Romualdo Gianordoli.

A polícia já vinha recebendo denúncias de que traficantes dominavam o bairro Ourimar, mas até para a polícia era difícil entrar na região e desarticular qualquer ação criminosa. Organizados, os bandidos conseguiam ter controle das entradas e saídas, além de acesso a todos os apartamentos, por onde circulavam livremente. 

Policiais civis e militares realizaram uma megaoperação no condomínio Ourimar, na manhã desta quinta-feira Foto: Reprodução

Operação

Condomínio foi tomado por traficantes Foto: Reprodução

No entanto, nesta quinta-feira foi deflagrada uma operação conjunta, das polícias Civil e Militar, que contou com 220 policiais militares, 160 policiais civis e 19 delegados, que tinham autorização da Justiça para entrar em qualquer unidade do condomínio.

"Vínhamos recebendo denúncias já há algum tempo, inclusive de regiões do entorno, como Manguinhos e Vila Nova, no sentido de que marginais estavam assaltando e perturbando naquela região. As pessoas não estavam mais podendo nem frequentar a praia direito, surfistas estavam reclamando também. Então foi feito um trabalho de aproximadamente três meses, de levantamentos, estudos e planejamento, e, com o apoio da Polícia Militar, nós desenvolvemos essa ação", ressaltou o delegado Darcy Arruda.

Além das prisões dos 14 criminosos, os policiais encontraram armas, drogas e munições, durante buscas nos apartamentos. Três adolescentes também foram apreendidos, um deles por envolvimento nos homicídios cometidos no condomínio. 

Dois suspeitos de integrar a facção criminosa ainda estão foragidos. Brian Lopes de Oliveira e Douglas Fernandes Pinto, conhecido como "Drogba", também têm mandados de prisão em aberto por homicídio. 

"Um mandado de busca e apreensão itinerante permitiu que nós localizássemos três desses cinco indivíduos, o que acreditamos que vai impactar na taxa de homicídios da região e trará uma maior pacificação social em Ourimar", frisou Gianordoli.

Na avaliação da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), mais do que a prisão dos suspeitos, a operação desta quinta-feira representa uma mudança na realidade da população local.

"Muitos moradores estavam reféns da criminalidade de um grupo pequeno, mas que estava causando transtornos à população de bem. Então o mais importante para a gente foi devolver a tranquilidade para os moradores da região e passar um recado forte contra a criminalidade. Não há nenhum local, nem mesmo um condomínio, que a polícia não possa entrar. E a gente vai continuar presente, com outras ações dessa natureza", garantiu o secretário André Garcia.