Lúcia, Célia e André disputam em Cariacica

O pré-candidato do PT em Cariacica já tinha nome e sobrenome: Helder Salomão. Com a desistência do deputado federal, começou uma disputa acirrada para a definição de um novo representante. Nesta terça-feira, o diretório de Cariacica se reúne de forma online para decidir o pré-candidato. Finalmente, vamos conhecer o desfecho que vai dar início a uma nova etapa na disputa eleitoral para Lúcia Dornellas, Célia Tavares ou André Lopes.

Lúcia Dornellas

Recentemente, a ex-deputada estadual ganhou o apoio de Christovan Mendonça, diretor-geral do Sindiupes, que desistiu de concorrer. “Estamos conversando bastante com as correntes internas do partido. O ideal é que a escolha seja por consenso, isso pressupõe muitas conversas online até lá. As minhas expectativas são que chegaremos a um acordo para que possamos começar a pré-campanha e o diálogo com os partidos aliados o mais rápido possível”.

André Lopes

O vereador André Lopes tem o apoio do ex-deputado federal José Roberto Dudé. “Nosso intuito desde o começo é construir o entendimento de um nome que possa nos representar. Se esse entendimento não acontecer, que a disputa seja dentro de parâmetros pré-estabelecidos e de muito respeito. Se chegar a ir para o voto quem for o escolhido vai ser o nome do coletivo”.

Célia Tavares

Já Célia Tavares tem como padrinho Helder Salomão. “Minha expectativa é que o partido realize debates virtuais com a militância para definição da candidatura, pois é uma forma de garantimos que a base do partido conheça melhor o perfil e as propostas de cada pré-candidato.  Espero ser escolhida por ter o apoio da maior parte da militância e do principal líder do partido que é o deputado federal Helder Salomão”.

Posse

Em cerimônia inédita, sem convidados e sem plateia presencial, os ministros Luís Roberto Barroso e Edson Fachin tomam posse hoje como presidente e vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral. A nova gestão comandará a Corte até fevereiro de 2022.

Convocação

Líderes de diversos partidos na Câmara dos Deputados anunciaram que vão apresentar requerimento de convocação do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, para que ele explique nota em que  alerta para “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional” caso o celular do presidente Jair Bolsonaro seja apreendido, conforme pedido do Supremo Tributal Federal.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *