Crédito para mais de 150 mil empreendedores

O governo federal vai destinar quase 16 bilhões em linha de crédito para micro e pequenas empresas do País. Os empréstimos poderão chegar a R$ 108 mil para as empresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano e a R$ 1,4 milhão para as com faturamento anual de R$ 360 mil até R$ 4,8 milhões por ano. De acordo com a Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas do Estado, são mais de 150 mil empresas nessas categorias no Espírito Santo.

Rindo à toa

O vice-prefeito de Cariacica, Nilton Basílio (PDT), tem intensificado as conversas com lideranças da cidade para reforçar sua pré-candidatura. Com a saída de Marcelo Santos (Podemos) do partido, o pré-candidato viu o caminho livre para concorrer ao pleito.

Bênção do Senado

Deputados federais propõem que o Senado aprove previamente o nomeado pelo Presidente para ocupar o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. O deputado federal capixaba Ted Conti (PSB) é um dos autores do projeto. Difícil vai ser convencer os presidentes do Senado e da Câmara, que ainda estão em lua de mel com Bolsonaro.

Pegou mal

Era pra ser apenas mais um dia de trabalho para agricultores de Santa Maria de Jetibá em uma feira de São Mateus. Mas, ainda na madrugada dessa quarta-feira fiscais do município recolheram os produtos dos feirantes sob a alegação de que agricultores de outros municípios estavam proibidos de trabalhar em São Mateus por conta da pandemia. Detalhe: a família trabalha na região há cinco anos e não foi comunicada da norma.

Final feliz

Felizmente, a prefeitura reconheceu a trapalhada e os excessos cometidos pelos fiscais. O prefeito da cidade, Daniel Santana (PSDB), recebeu a família na prefeitura e até os convidou para almoçar. Ele lamentou a forma como a fiscalização foi conduzida e determinou a abertura de procedimento administrativo para apurar os fatos. Segundo os feirantes, toda a mercadoria foi arrematada por um empresário de São Mateus dono de um restaurante.

Estabilidade

Sob o ponto de vista democrático, a falta de alternância e oxigenação no comando da Fecomércio – entidade que representa vários sindicatos de diversos setores – vão de encontro a princípios fundamentais para a transparência e boa gestão pertinentes ao cargo. Mas a direção da Federação, como deixa explícito em seu site, prefere chamar a “eternização” no seu comando de estabilidade. “As composições dos mandatos da Fecomércio mantiveram-se estáveis, até recentemente, com a eleição do empresário do ramo de automóveis, José Lino Sepulcri”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *