O que está por trás das manifestações em São Paulo

O Presidente pode não ter ordenado os confrontos deste domingo, na Paulista, em São Paulo. Mas, certamente, defendem algumas lideranças políticas, criou o clima para um domingo de confusão. Nas últimas semanas não foram raros os momentos em que o Presidente se dirigiu de forma desrespeitosa a instituições do judiciário, “provocando” a democracia quando decisões de tais insituições não lhe agradavam.

Já disse o Presidente

“Tudo aponta para uma crise”, referindo-se às recentes decisões do STF, TCU e TSE. Motivo: as decisões miram a família, amigos e a campanha eleitoral do Presidente.

O confronto

Ocorreu entre apoiadores do Presidente e participantes de um ato organizado por torcidas de futebol, entre elasa do Corinthians e Palmeiras, que pediam a defesa da democracia. Policiais precisaram usar bombas de gás e uso de spray de pimenta para tentar dispersar os manifestantes.

Fake news

A proposta dos deputados Tábata Amaral (PDT) e Felipe Rigoni (PSB)  e do senador Alessandro Vieira (Cidadania) estabelece que as plataformas estão sujeitas a sanções por não cumprirem obrigações legais, como emitir relatórios transparentes e destacar correções feitas por verificadores de fatos independentes. O texto prevê que a plataforma deve aplicar a verificação responsável, ao invés de moderação e derrubada de conteúdo que é feito hoje.

As sanções

Vão desde advertência, com indicação de prazo para adoção de medidas corretivas; multa; suspensão temporária das atividades e proibição de exercício das atividades no País. O texto pode ser votado na próxima terça-feira no Senado Federal. Depois passa pela Câmara e segue para a sanção do Presidente..é aí que tá!

No Estado

A Asssembleia Legislativa aprovou um projeto do deputado estadual Hércules (MDB) que institui multa para quem espalhar notícias falsas sobre epidemias e pandemias no Estado. A multa pode ser chegar a R$ 700,00 e os valores recebidos devem ser revertidos para o Fundo Estadual de Saúde. O projeto ainda não foi sancionado pelo governador.

Formação online

O PSD Lançou uma plataforma de formação online para preparar representantes para a gestão publica. O curso será obrigatório para todos os pré-candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador e o certificação será exigido para participar da convenção partidária. “O PSD Nacional quer oferecer à população brasileira os melhores nomes, pessoas mais qualificadas e capacitadas para as eleições”, explicou o presidente do partido no Estado, Neucimar Fraga.

Sem recesso

O presidente da Ales, deputado Erick Musso (Republicanos) suspendeu  o recesso parlamentar, que ocorreria de 17 a 31 de julho. A decisão leva em conta a pandemia do novo coronavírus.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *