Por que Pazolini anunciou o retorno das aulas

O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos), anunciou o retorno das aulas na Capital, nesta terça-feira. O que chamou atenção, talvez até mais que a notícia em si, foi o enredo montado pelo prefeito: o mocinho “salvando a pátria” das garras do vilão. Sem dúvida alguma a educação deve ser prioridade e ninguém está dizendo o contrário, como o vídeo deixa transparecer. Entretanto, ao defender a pauta desconsiderando o contexto em sua totalidade, o prefeito coloca em dúvida quais são suas reais intenções em relação à educação. Por outro lado, deixa claro suas intenções políticas.  

Contextualizando..

Na última sexta-feira, o governador Renato Casagrande (PSB) sinalizou para a possiblidade de reabertura das escolas na semana que vem. Se o governo estadual já está se movimentando para retomar as atividades, qual o objetivo de o prefeito fazer esse anúncio agora? Além disso, em tese, os municípios não podem flexibilizar regras definidas pelo governo estadual para combater a pandemia. Caso o posicionamento dos executivos municipal e estadual seja diferente, o impasse deve parar na Justiça.

De um jeito ou de outro

Pazolini vai sair ganhando das duas formas: se Casagrande anunciar a reabertura, o republicano já se antecipou e vai receber o mérito por uma coisa que já aconteceria. Se não reabrir (o que dificilmente ocorrerá), o prefeito garante a imagem de que está fazendo tudo o que pode, e quem joga contra é Casagrande. O prefeito se coloca numa posição de enfrentamento em relação ao governador, e busca se descolar – ainda mais – do governo estadual. Tudo isso em nome dos interesses políticos do Republicanos. O partido de Roberto Carneiro, Erick Musso, Amaro Neto e Pazolini quer ser o número um do Espírito Santo, posto ocupado hoje justamente pelo PSB.

Erick Musso

O presidente da Assembleia Legislativa também fez uma participação especial no vídeo. Erick tem apresentado nas últimas semanas uma versão bem diferente da do início do ano, quando era só elogios e promessas a Casagrande – e quando precisava do apoio do governador para se reeleger presidente da Assembleia Legislativa. Depois de se consolidar no cargo, sem os assombros da Justiça desta vez, passou a se distanciar de Casagrande. Não por que tenha algo pessoal contra o governador. É que as promessas de outrora deixam de fazer sentido quando o contexto passa a ser o futuro do Republicanos.

Afinal, como será a volta às aulas? 

A Prefeitura de Vitória não informou. Muito menos o vídeo explicou sobre quais serão as regras para a reabertura das escolas e as medidas de segurança a serem tomadas. Apesar da ausência de detalhes importantes, a mensagem que fica é a de que Pazolini é o gestor mais preocupado com a educação no Estado. Por ora, é isso que importa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *