Servidores do DNIT serão fiscais da ANTT

As recentes concessões de rodovias federais causaram o primeiro efeito colateral administrativo no governo, e na contramão de cargos o risco de um choque de categorias. Um reboliço tomou os corredores da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que espera chamamento de mais concursados e reivindica mais concursos.

Com a concessão das rodovias, muitos setores ficaram ociosos no Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes – braço do Ministério dos Transportes – e a solução foi remanejar servidores para a ANTT.

Agora, sem qualquer treinamento ou experiência no setor, por ora 22 servidores do DNIT que até ontem fiscalizavam obras ou atuavam em gabinetes, passarão a atuar como fiscais da ANTT nas estradas. ‘Eles continuarão servidores do DNIT, mas estarão prestando serviços à ANTT’, informa a assessoria do DNIT.

Procurada sobre a alocação destes servidores, a assessoria da Agência não respondeu.

O segredo dos painéis
Embora por força da lei não divulguem, técnicos do CENIPA – Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica acreditam que as peças e painéis eletrônicos da cabine do jato recolhidos dos destroços poderão elucidar os motivos da queda do jato Cessna PR-AFA, que matou pilotos, Eduardo Campos e equipe em Santos.

No entanto, agora sem os dados de voz da caixa-preta do avião, as investigações deverão ser mais demoradas.

Há fortes indícios de que o mesmo problema elétrico que causou falha na ignição do jato em junho, em Londrina (PR), como relatado por pilotos, pode ter causado o corte de energia para o CVR, aparelho que alimenta a caixa-preta do jatinho.

Em tese, isso explicaria a ausência de dados de voz da cabine do voo fatídico que vitimou Eduardo Campos e equipe.

Os técnicos agora concentram as investigações nos painéis eletrônicos, softwares e objetos recolhidos da cabine, em trabalhos nos laboratórios de Brasília e São José dos Campos (SP).

Curto-circuito eleitoral
Candidato ao governo de Goiás pelo PSB, o industrial Vanderlan Cardoso guarda trunfo para atacar o rival Marconi Perillo (PSDB), que tenta reeleição. É caso pessoal.

Cardoso havia negociado com a Celg, companhia de energia do Estado, mais linhas de transmissão para uma pequena cidade onde instalaria fábrica de produtos alimentícios. Coincidência ou mudança de estratégia, a Celg desistiu de investir na linha logo depois que Vanderlan anunciou sua futura candidatura contra Marconi, anos atrás.

Cardoso então ergueu a fábrica em Caruaru e tornou-se amigo e militante de Eduardo Campos. Visionário, Campos previu um potencial candidato em Goiás, e há dois anos filiou Cardoso ao PSB. Deu incentivos fiscais para fábrica de alimentos no agreste de Pernambuco.

Devagar, devagarinho

Grãos petistas preocupados com o pique da candidata. A presidente Dilma se mostra mais comedida que o antecessor Luiz Inácio na mesma situação, em 2006. Nos bastidores, há séria recomendação médica para que se evite a volta de seu câncer. Perigo real e imediato, diante do estresse e da agenda cansativa.

Tristes fins
O Brasil tem histórico de perda de políticos em acidentes aéreos. Além do presidente Castelo Branco, de Ulysses Guimarães e agora de Eduardo Campos, o então governador do Rio Roberto Silveira foi vítima de queda de helicóptero em 1961 em Petrópolis.

Malas prontas
O ministro do Trabalho, Manoel Dias, vai a Lima (Peru) este mês, e a Melbourne (Austrália) em setembro, para reuniões da OIT, nas quais apresentará o plano do SUT – Sistema Único do Trabalho, sobre modernização da pasta.

Choque candango
Candidato de Aécio Neves ao governo do DF, Luiz Pitiman (PSDB), ex-secretário de Obras de Agnelo (PT) em 2011, conheceu por dentro o governo e partiu para o ataque: prega um choque de gestão na administração de Brasília. Assista na TV UOL e no canal da Coluna no Youtube a entrevista à Esplanada WebTV.

PT x Vargas
O TSE começa a dar celeridade no processo em que o PT pede a perda de mandato do deputado André Vargas, que se desfiliou do partido. A ministra Luciana Lóssio marcou audiência entre as partes para dia 22, sexta que vem, às 15h. Será a primeira vez que Vargas e os advogados do PT vão se confrontar. Mas o advogado de Vargas acaba de pedir cancelamento da reunião.

A conferir
Para acalmar as alas radicais contra Marina Silva, o PSB estuda lançar uma inédita chapa feminina à Presidência: Marina Silva com Luiza Erundina de vice.

Ponto final
“Tudo mundo roubou. O PT, meu partido, os tucanos, não tem mais santo. Não tem partido que signifique transparência, verdade, dignidade”

Marcelo Almeida, herdeiro do Grupo CR Almeida e candidato ao Senado pelo PMDB do Paraná, sobre partidos e o caso Petrobras, em entrevista a um jornal.
______________________________
Com Equipe DF, SP e Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *