Ex-diretor da Petrobras mandou recado para governo antes de delação

Antes da delação premiada, o ex-diretor da Petrobras preso Paulo Roberto Costa mandou um recado velado para a cúpula do governo, por emissários: que deixassem suas filhas em paz e não mexessem com sua família.

Assim, prometeu ficar calado, porque, segundo relatou, muita gente poderosa de vários partidos seria prejudicada nas eleições.

Com a segunda fase da operação Lava Jato há dias, a PF e o MP Federal fecharam o cerco às suas filhas, funcionárias de sua empresa na qual há várias irregularidades. Foi o estopim para que Paulo Roberto aceitasse a delação premiada.

Pavor geral
De Norte a Sul, do Sudeste ao Centro-Oeste, muita gente do PT, PP, PMDB e até do PSDB está desesperada se Paulo realmente contar tudo o que sabe.

Nem tão cedo
Enrolado está Alberto Youssef. O ministro Teori Zavaski (STF), ao soltar anteriormente os detidos da operação, menos o doleiro, indicou que Youssef está no sal com a Corte.

“Aliados”
Sem Eduardo Campos, o PSB de Pernambuco tornou-se um barril de pólvora – o fogo amigo entre “aliados” e a indiferença entre os que evitam brigar é latente. O candidato ao governo, Paulo Câmara, nem cita o governador João Lyra Neto em eventos, mesmo com o próprio ao seu lado. Lyra também não engole Câmara, por ter sido preterido na indicação de Eduardo Campos para a disputa.

Esqueceram de mim
Lyra foi vice-governador por sete anos e assumiu em abril, quando Campos saiu em viagens pelo País. O clima é péssimo. Tanto é que o Paulo Câmara, na campanha, em discursos ou conversas, só se refere a Campos, como se Lyra fosse um fantasma.

Revenge
Mas há quem aposte em retaliação iminente na campanha de Câmara. O dinheiro está curtíssimo no comitê. E quem tem a caneta é o governador. Com Campos ainda vivo, já era difícil arrecadar. Lyra não vai usar sua influência para convencer financiadores.

Galinhada eleitoral
O presidenciável Pr. Everaldo (PSC) almoçou no domingo com o apresentador Ratinho na fazenda do artista no interior do Paraná. Esbaldaram-se em galinha caipira.

Da fazenda de Ratinho, Pr. Everaldo foi a missa campal num distrito de Apucarana (PR). E surpreendido ao ser chamado pelo padre ao altar para apresentá-lo como o único candidato que… defende os valores da família.

Língua afiada…
Candidato ao Senado pelo PT na coligação com Armando Neto (PTB) ao governo de Pernambuco, o ex-prefeito do Recife João Paulo tem apelado em suas caminhadas pelo interior. Põe medo em caso de eleição de Paulo Câmara (PSB).

No repertório de João Paulo, Câmara e Eduardo Campos são traidores do PT e do povo. Fala que não fizeram nada pelo Estado, que tudo acontece ali por causa de Lula e da presidente Dilma.

Previsões (de perto)
Giannetti da Fonseca, o guru econômico da presidenciável Marina Silva (PSB) e um de seus principais avalistas no mercado, tem confidenciado a amigos que ainda não sabe se, eleita, ela vai deixá-lo fazer os ajustes necessários na macroeconomia

Dilma e seu avião
Passados o choque, comoção e incredulidade com o acidente aéreo que vitimou Eduardo Campos e equipe, a presidente Dilma Rousseff ganhou mais atenção dos assessores próximos com a notória mania de questionar seus pilotos sobre condições de tempo e de aeronave desde que assumiu o cargo.

Reservada e meticulosa, a Força Aérea Brasileira é precavida: só pilotam o avião presidencial os mais experientes comandantes, os chamados ‘Caçadores’; o ‘AeroDilma’ é vistoriado todos os dias; e as peças da aeronave são trocadas bem antes do prazo estabelecido em manual.

Dilma tem pavor de turbulência. Houve casos de mudar rota do avião em voo por causa de nuvens, conferir carta aérea com pilotos, e até  traçar plano de voo com comandantes.

Racha socialista
Rachou o PSB em Minas, onde Eduardo Campos trabalhava incansavelmente para fortalecer o partido – terra de Aécio e segundo colégio eleitoral do País. Presidente do diretório em BH, Daniel Nepomuceno disse que Júlio Delgado ‘só pensa em aparecer sozinho, que ele agora vá atrás dos votos’. Delgado preferiu não polemizar.

O cerne foi a desistência de Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, da candidatura a deputado federal com a morte de Campos. Delgado criticou a indecisão contínua do cartola sobre o que desejava: Governo, Câmara ou Senado.

Memória
Aliás, Tarcísio Delgado (PSB), pai de Julio e candidato ao governo de Minas, é ex-prefeito muito bem avaliado de Juiz de Fora. Muitos anos atrás prometeu na TV, em campanha para prefeitura, construir o metrô na cidade. Foi eleito. O metrô ficou na TV.

Uma vez PT…
André Vargas está em guerra com o PT e vice-versa, no TSE. Mas o deputado, agora sem partido, faz propaganda para candidatos a estaduais no Paraná nas redes sociais.

Vá entender
O TRE do DF barrou dois nomes de urnas de candidatas a deputada distrital. Rejane dos Anjos queria usar “Macaco Tião Rejane”. Outro, um curioso caso de homonímia sobre a famosa família Roriz, com considerável peso eleitoral. Surgiu uma nova Jaqueline Roriz, candidata a distrital. Mas a atual deputada federal, a legítima, conseguiu impedir.
_____________________________
Com Equipe DF, SP e Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *