Caravana contra o ‘golpe’

O ex-presidente Lula da Silva, que acompanha a defesa da presidente afastada Dilma Rousseff em Brasília, decidiu comandar uma nova caravana pelo País – desta vez, ao contrário dos anos 90, será para denunciar ‘o golpe’. Ele vai capitanear arrecadação de fundos junto a militantes e simpatizantes do PT para bancar as viagens. O material da campanha já está pronto e a mobilização será centrada em redes sociais.

Murchou
Os sem-terra não levaram os previstos 60 mil manifestantes pró-Dilma à Esplanada ontem. O dinheiro acabou.

Toma-lá-dá-cá
Dilma ia bem na falácia até levar uma aula constitucional do senador Anastasia. A senadora Simone Tebet cobrou dados e levou de Dilma aula de política internacional.

Desculpas
É notório no discurso de Dilma culpar a crise internacional quando não sabe responder sobre a legalidade de seus decretos. Antes, o discurso do PT era botar a culpa no FHC.

PT-Rede
Além de projetar a redução de 30% das prefeituras nas eleições de outubro, o PT estima que já perdeu mais de 130 chefes de executivos municipais que migraram para outras siglas depois do furacão Lava Jato. A Rede foi o destino da maioria dos prefeitos que abandonaram a nau petista.

Incólumes
Enquanto no PT o cenário não é dos melhores para as eleições, PSDB e DEM – que quase foi dizimado – esperam ampliar seus espaços nas prefeituras. Mas a avaliação das legendas é de que ‘Lava Jato’ e outras investigações não serão lembradas nas urnas.

Deu a louca
Senadores ainda procuram respostas para a abrupta e inesperada reação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) que, além de atacar a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) e o marido dela, ex-ministro Paulo Bernardo, comparou a Casa a um hospício.

‘Descompensado’
“Estou sem entender até agora. Foi uma atitude completamente descompensada”, diz o senador José Agripino Maia (DEM-RN).

Guerreira
Pouco antes do depoimento da presidente afastada Dilma no Senado, o deputado Wadih Damous (PT-RJ) enaltecia a “coragem” da aliada: “Verás que um filho teu não foge a luta.” Não fugiu, mas também não soube explicar nada.

Tática do medo
Vem aí a tática do medo preconizada pelo marqueteiro do PT, João Santana, preso na Lava Jato. As campanhas do PT e de partidos aliados vão centrar na imagem de Michel Temer como “aniquilador de direitos” – como Bolsa Família e Minha Casa.

Desafiou
Sem olhar para a galeria, Ronaldo Caiado (DEM-GO) cantarolou “Apesar de você amanhã há de ser outro dia” em tom de provocação. Chico Buarque, lá de cima, ao lado de Lula, quase riu, mas torceu o nariz.

Neoaliados
Ex-secretário de Cultura e ex-presidente da Rio Filmes na gestão Eduardo Paes por seis anos, Sérgio Sá Leitão se aproximou de Marcelo Crivella (PRB), líder nas pesquisas para a prefeitura. Era um dos 100 convidados por Crivella num hotel em Copa há dias.

Astros reunidos
Nota-se que artistas antes indiferentes a Crivella, por suas ligações com a Igreja Universal, começam a ouvi-lo. Crivella se dissociou da IURD. Luiz Carlos Barreto, Luiz Carlos Prestes Filho, Rosamaria Murtinho, os atores Mário Gomes e Cláudia Alencar se uniram ao grupo que encontrou o candidato.

Parou na UTI
Olha no que deu o estresse da novela Patrícia Lélis x Deputado Feliciano. O delegado do 3º DP de SP, Luís Hellmeister, sofreu infarto. Está internado sob observação.

Ponto Final
“Destempero é medo da presença de Dilma. Tremem em pensar no confronto com Dilma. Lembram de Agripino”
Do senador Lindbergh Farias (PT-RJ), ao mencionar o “arranca-rabo” entre Dilma e o senador José Agripino Maia (DEM-RN) no Senado, em 2009.

300x200px Blog Bastidores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *